"Gostava de ter um gato, mas receio arrepender-me..."

quarta-feira, setembro 29, 2010


Quem nunca teve gatos é como quem nunca teve filhos: parece tudo muito mais complicado do que é na realidade. :)

Existem milhares de gatos abandonados na rua, é verdade. Recolher um não vai fazer diferença nenhuma. Mas para esse 1 que levar para casa... vai fazer toda a diferença.

Ora vamos lá a conversar sobre os principais receios que vos afligem:

Vai encher-me a casa de pêlos!
Quando um gato está enfraquecido e come ração de má qualidade, é verdade, solta pêlos.
O Aramis soltou bastante nas primeiras semanas após o termos recolhido da rua.
Mas depois o pêlo parou de cair e ficou sedoso e brilhante. Bastou dar-lhe uma boa ração e ter o cuidado de escová-lo diariamente.

Vou ficar com a casa a cheirar mal!
Os gatos não deitam cheiro. São animais, por natureza, muito picuinhas e asseados.
Passam uma boa parte do dia a limpar-se com a língua.
A sua caixa de areias também não deitará cheiro, desde que tenha o cuidado de retirar as sujidades com uma pá todos os dias (basta 1 vez por dia). Veja ainda esta dica.

Vai dar muita despesa!
A comida para gato é MUITO mais barata do que, por exemplo, a de cão.
E se estiver atento às promoções dos hipermercados, pode comprá-la ainda mais barata.
Peça ao veterinário para indicar-lhe as marcas mais saudáveis.
Quanto às areias, eu compro um pacote de 5 Kgs por 0,89€. É barato o suficiente?

E nas férias, como faço?
Se tiver amigos que também tenham gatos, peça-lhes que vão a sua casa diariamente limpar as areias, repôr comida e água e fazer umas festas ao seu gato. Retribua o favor quando for a vez deles. Caso contrário, procure casas de férias que aceitem animais e leve-o consigo.

E se fizer as necessidades pela casa toda?
A primeira coisa que deve fazer quando leva um gato para casa, é colocá-lo na caixa das areias, para ele saber que é ali o lugar. Ele aprende logo.
Depois, basta ter o cuidado de retirar os "pindocos" e a areia molhada de xixi todos os dias com uma pá, e ele vai sempre portar-se bem. É muito raro haver um gato que se porte mal.

Para quê ter um gato?
Os gatos de rua têm uma esperança média de vida de 4 anos. Em casa, podem viver até aos 20 anos. Um gato resgatado do abandono ficar-lhe-á muito reconhecido e será um amigo fiel para o resto da vida.

Quando o Aramis veio para nossa casa, estava tão magro e enfraquecido que não tinha forças para se manter de pé. Receámos que não conseguisse sobreviver.
Estava muito sujo, não tinha pêlos no pescoço e miava com queixume.
Actualmente, está resplandecente e orgulhoso de si mesmo. Todo ele é dignidade. :)

Dorme todas as noites enroscado aos meus pés. Só sai da cama quando eu me levanto, e segue-me para todo o lado. Onde eu estou, ele está também.
É um companheiro de brincadeiras cheio de paciência para o L., observa-o atentamente enquanto ele brinca com os carrinhos e corre atrás dele quando fazem a "caça ao fio".

Esconde-se nas esquinas e, quando passamos, dá um salto no ar e abraça-nos as pernas com as patinhas felpudas: "Cacei-te!". Sempre bem-disposto e brincalhão.
Vem receber-nos à porta quando chegamos da rua. Faz-nos mais felizes.

Ter um gato é assim.

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE LER

36 COMENTÁRIOS

  1. Oi Hazel,

    Eu sou apaixonada por animais. Com certeza se morasse em casa, ao invés de apErtamento, teria muitos bichos.
    Tenho uma cachorrinha mas já tive gatos. E gatos são tudo de bom. Tem os pelos, mas nada que uma esponjinha não resolva.
    O retorno de amor que vem em troca, compensa qualquer possível trabalho.
    Beijo e ótimo dia

    Andreia
    http://universoemcores.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Bem, aquelas duas cachorrinhas de antes do meu blog, hoje estão bem gordinhas e soltam menos pelos que a Sophie.
    O pelo delas é curto. Aqui como esta chovendo estão morando comigo no apartamento.
    Da um trabalhinho, mas mesmo assim novas na casa, ja entenderam que tem o lugar de fazer as necessidades.
    Animais é muito bom de se ter, se for pensar em valores, podemos ter amigos humanos que apesar de não gastar, talvez um dia possamos até ser apunhalados pelas costas, como ja fui em minha vasta vida. Mas um cachorro, é uma fidelidade eterna.

    ResponderEliminar
  3. Rs... Sim fez a diferença no dia que adotei a Sofhie ainda nenêm... Hoje com as duas irmãzinhas novas, quando achei as duas vagando perto do lixão, estavam secas e subnutridas, ração e carinhos fizeram elas melhorarem bastante.

    ResponderEliminar
  4. Que sorte teve o Aramis de encontrar uma boa dona. Agora é um gato feliz!

    ResponderEliminar
  5. Olá Hazel!
    Sei bem o que é ter um gato. Tenho duas que são a minha alegria.
    Inclusive uma está aqui comigo agora, dormindo no meu colo. A outra está enrolada no edredon, pois hoje está um dia chuvoso e friozinho.
    As duas foram resgatadas da rua, e de fato, elas são agradecidas, agradecem em forma de carinhos e cuidados p/ conosco.
    Gostaria de poder adotar mais gatos, mas o espaço aqui é pequeno...quem sabe um dia compro uma chácara e a transformo num gatil.
    Dizem que querer é poder, então esse sonho é só uma questão de tempo, né?
    Grande abraço e grande dia pra ti.

    ResponderEliminar
  6. Hazel, seu gato é uma realeza, basta ver o seu porte pra foto.
    Cães e gatos são grandes paixões, mas falta-me um felino, há anos que não tenho um comigo.
    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Ah, minha irmã...sabes que se fosse aqui essa "gatinha" amarelinha linda eu iria ficar com ela...meu irmão procura um gato amarelo mas não encontra...tão facilmente por aqui!

    Báh, a alegria de se ter um felino em casa...não tem palavras! Os cuidados, até são menos do que com cachorros...eles são mais independentes, apesar de eu ter as minhas duas dentro de casa, somente aqui dentro! São castradas e tenho receio que judiem se eu deixar elas passearem pelos telhados alheios! Mas saem no jardim comigo se refestelarem na grama... hihi!

    Vamos lá, quem estiver por perto e quiser se aventurar com um bichano muito especial: um felino!

    Beijo em vossa nobre alma.

    ResponderEliminar
  8. Nas minhas viagens pelo mundo encontrei um dia um gatinho bebé, que depois logo vi que afinal era gatinha (A Gatinha Sortuda)! Era linda de pequenina e miava baixinho. Acho que ela pensou que finalmente tinha encontrado a sua "mamã": não fazia barulho nenhum; só queria estar ao colo; identificou logo onde tinha que fazer as suas necessidades...

    Foi dos momentos que mais me marcaram, acho que eu andava tão carente como ela...=D

    Infelizmente, porque estava de viagem, porque a senhoria não queria animais e porque não tinha mesmo meio de a levar comigo, tive que a deixar num centro de acolhimento de animais (mas neste não abatem os animais)... foi tão doloroso...mas sei que ela ficou muito bem e que quem teve a sorte de a adoptar ficou com uma gatinha super amorosa para sempre!

    ResponderEliminar
  9. Oi linda

    Realmente e um problema,um agradavél problema e claro.Eu acho que a gente tem mesmo que pensar muito para depois não arrepender.Um bichinho exige sim muita responsabilidade...eu tenho um e sei.
    Quando tenho que viajar e sempre uma dificuldade,e preocupação,medo do bichinho morrer ou sofrer.
    Quanto a pelos,não sei em gatos,mas minha mãe tem um cachorro e desde que minha sobrinha lhe deu o bichinho,a casa vive cheia de pelos,principalmente o tapete.
    Mas tem o lado sentimental...a gente ama aquele anjo de todo coração.Responsabilidades...são como crianças.
    Bjs
    Deusa
    vasinhos coloridos

    ResponderEliminar
  10. Que lindo Hazel!

    Á mesma coisa contece comigo...vc descreveu muito bem!
    A minha Juju dorme nos meus pés, onde eu vou lá está ela a espreitar-me...e adora me caçar!rsss

    Ter a Juju foi a melhor coisa que eu fiz na vida! Ela é a minha companheira a minha amiga que me acompanhou em várias mudanças...depois dizem que os gatos se "apegam a casa" e não aos donos...que mentira! Eu tenho uma prova viva disso! Quem fala isso não teve a alegria te ter um felino por perto.

    Bjssss
    Sheila

    ResponderEliminar
  11. Oi Hazel!!

    Eu também AMO gatos.. sabe né, toda bruxa tem um. Já tive alguns, mas na casa que eu moro, é impossível prendê-los e minha vizinha acabou ganhando pela canseira. Tive que dá-lo para uma pessoa que ama gatos e cuida muito bem dele.

    Concordo com você 100%, espero que tenha conseguido convencer alguém que não goste de gato, a dá-los uma chance.

    beijinhos green

    ResponderEliminar
  12. Não acrescento nem uma virgula! Para mim os gatos são os seres mais nobres que existe na terra, têm com toda a certeza uma ligação especial com os donos e com sei lá mais o quê mas têm!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Olá,

    Como sempre, hoje tirei um minutinho e passei por aqui, e qual não foi o meu espanto, quando encontro este tema, mesmo de proposito para mim;) como sabers estamos mesmo nessa fase da decisão, a minha gatinha (minha filha) quer mesmo um gatinho e tenho a certeza que lhe iría fazer muito bem...ainda não lhe falei da surpresa de sabado, senão não vai parar de perguntar até ao dia:):)

    Bjokas felinas

    ResponderEliminar
  14. Sempre amei gatos, desde miuda!!
    Tive um grande desgosto quando me divorciei que tive que deixar a minha gata com o meu ex marido.
    no entanto a sorte bateu-me a porta e uma prima minha pediu-me, por motivos de saude do filho mais novo, que adoptasse a gata dela. Uma Bosques da Noruega, linda, meiguissimaaaaa.
    Estou a ama-la, e não acho que deia assim muito trabalho. O problema mesmo é o excesso de pêlos!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Carla:
    O Aramis também é um Bosques da Noruega (ainda está a recuperar a pelagem exuberante característica deles), e em relação aos pêlos o truque está em escovar todos os dias bem escovado, para que os pêlos fiquem agarrados ao pente (ou escova, eu uso as duas coisas).

    Felicidades para a gatinha!

    ResponderEliminar
  16. Olá!
    Não temos gato(a), mas ha algum tempo P. fica pedindo,já vi que na hora que ela ver seu post, vou ter que buscar um gato rsrsrs!
    Amo animais, mas depois que a minha cachorra laila morreu fiquei triste, daí peguei uma lebre preta linda, mas ela fugiu. Tudo bem vou tentar com um gato, embora eu tenho o da academia como meu, pois ele adora ficar pendurado no meu pescoço enquanto dou aulas, ou fica deitado na minha roupa na cadeira, e também dá aqueles tapinhas na perna sabes? kkkk
    Bjs
    Ser Estranho Ser!

    ResponderEliminar
  17. Hazel.......nunca tive gatosm mas tive a mãe da minha pituca (pantufa) durante 12 anos, com 10 anos pariu a minha tuquinha e ainda viveu 2 anos com a filhota...morreu com 12 anos devido a tumor... posso dizer-te que é o que eu tenho de mais importante na minha vida depois da ´saúde...mas, tb te digo que não é qualquer pessoa que recolhe animais e os estima...o abandono supera em grande a adopção e recolha...espero que essa gatinha consiga uma casa boa para ela.
    mil beijinhos

    ResponderEliminar
  18. O Aramis é mesmo lindo, tem um ar nobre, deve ser das origens chiques dele, he he.
    Já te disse que me dá vontade de o agarrar e apertar, enterrar a cara naquele pêlo (sem magoar claro). É que ele tem um ar tão fofo e não meguinho, deve ser uma ternura. Ainda bem que te encontrou, assim tem um Lar feliz.
    Eu não tenho animais, apesar de os adorar, exactamente por pensar no bem estar deles, onde iriam ficar nas férias? Não tenho pessoas perto de mim em quem possa deixar o bichinho e ir descansada, ainda corria o risco de voltar e ter um desgosto (ou depois ainda iriam passar o resto do ano a queixar-se do trabalho que teve com o bicho, por isso é para esquecer, não estou para ouvir barbaridades). Deixar num hotel para animais faz-me confusão, acho que são muito impessoais e frios, e o bichinho ainda pensava que tinha sido abandonado (acho que isso que eles devem sentir num hotel, se for em casa de alguém menos mal). Por tudo isto, opto por não ter, com muita pena, mas em primeiro lugar penso no bem-estar dos bichinhos.
    Se pudesse teria um cão mini, e ia ser tão mimadoooooooooooooo.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. Olá!
    Obrigado por esclarecer para seus leitores como é fácil e muito gratificante adotar um amiguinho de 4 patas. São seres inocentes que nos dão muito carinho e amizade por tão pouco em troca. Todos os meus animais (gatos e cachorros) foram tirados da rua... e a alegria e carinho que eles me dão... ahhh, trabalho e despesa são coisas mínimas.
    Espero de coração que vc tenha conseguido convencer alguém para dar uma chance a Bella.
    Bjks

    ResponderEliminar
  20. Ola Hazel,fez bem em ficar com ele. não tem coisa melhor que esses filhinhos do coração para alegrar ainda mais as nossas vidas.
    Beijos para você,para o L. para o Aramis.

    ResponderEliminar
  21. Hazel,
    Ter um gato é aprender a ser independente e amar "apesar de". Meu gato morreu em janeiro e eu, que já tive cachorros também, diria que conviver com ele foi uma das experiências mais ricas que já vivi.
    Beijo do Brasil!

    Maria

    ResponderEliminar
  22. Olá Hazel,
    Embora nao seja para dizer "eu aceito" nao quis deixar de dizer que só nao aceito porque estou longe, caso contrário, já estava aqui no sofá ao meu lado.

    A minha casa anterior vinha com uma gata de rua incluida, tomei conta dela, fiquei com um filhote que ninguem quis, e ainda consegui encontrar famílias para outros 12 que nasceram.

    Nao foi fácil! Por isso compreendo o teu post, e desejo sinceramente que entretanto uma das tuas leitoras aceite o bichano. Fico a torcer para que ele encontre um novo lar brevemente!

    Bjs
    Paula M.

    ResponderEliminar
  23. Olá minha querida!

    Hummmm...adorava poder ter mais bichinhos, mas no meu "apertamento" é impossível! Vejo-me grega com os piriquitos e a louca tartaruga.

    Meu filho adora bichinhos, mas prefiro não meter-me em aventuras, não acho que aqui um cão ou um gatinho estariam bem, acho que precisam de espaço.

    Meu vizinho do rés do chão tem um rottweiler e eu fico cheia de dó do bichinho, ele está na área atrás da casa, mas estes bichinhos precisam de correr e brincar. Ele chora na beira da porta, por que passa o dia sozinho.

    Cresci em uma casa com animais, por isso respeito muito o espaço dos bichinhos, meus pais neste momento tem 3 cães e é muito engraçado, pois quem não conhece pode pensar que estamos a falar de pessoas. Mas é assim que deve ser!

    Beijinhos com ternura :)

    ResponderEliminar
  24. Olá . Tenho um gato e uma gata,e como a Hazel disse, eles não dão trabalho. Lavam-se a eles próprios, fazem as suas necessidades na caixinha,dormem bastante e não ficamos com a casa a cheirar a gato. A minha gatinha era da rua , o meu filho apanhou-a numa noite de muito frio, ela era bébé e deve ter-se perdido da mãe, era tão pequenina , que bebia o leite por uma seringa.Hoje é a minha companhia , não me larga.Por isso , não se esqueçam da " Bella" ou de outros gatinhos que não têm casa, eles vão-lhe agradecer.Beijos.

    ResponderEliminar
  25. Olá Hazel.
    Um post feito à minha medida! Adoro animais, mas os felinos são a minha perdição. Tive uma gata 20 anos, quando eu abandonei o ninho ( saí da casa dos meus pais) ela adoeceu e acabou por morrer... Agora tenho dois gatos que nos fazem muito felizes, antes de vir para Alverca cheguei a ter 4 (um foi roubado e o mais velho adoeceu e não aguentou a mudança), e tal como na casa da Hazel éramos 6 quando íamos dormir :). Eles gostam de nós porque sim, não tem que haver explicações para tal. Vá lá adoptem um animal, tem muito amor para dar de borla, sem nada em troca!
    Sónia C.

    ResponderEliminar
  26. Dizem que os gatos é que são nossos donos e não o contrário *__*

    Estou doida (já tem um tempo) para ser o bicho de estimação de um gato!!

    Se pudesse adotava a da foto amarela *(

    beijos, Cora.

    ResponderEliminar
  27. Adorei essa postagem, Hazel !!!
    Resgatou, para muitas pessoas, a imagem dos gatos, considerados que são, animais terríveis.
    Não cuidamos dos nossos gatos com tantos mimos, pois eles vivem soltos no quintal e não entram em casa. Mas, ração, água pura de mina e carinho eles recebem com fartura.

    E são animais fáceis de cuidar, independentes, limpos e tranquilos.

    Parabéns pela postagem !

    Os gatos do planeta devem estar felizes...
    Beijo

    ResponderEliminar
  28. Se eu morasse mais perto... eu pegava essa gata linda p mim.
    Foi bom vc fazer esse post, para quebrar preconceitos contra à criação de gatos.

    O ser humano põe tanto empecilho, cria tantos problemas para o que não existe, não é? que negatividade...

    Hazel, sobre o post no blog:
    A temperatura varia bem durante o ano.
    O verão é bem quente. No inverno neva e faz um frio relativo. O outono é um tanto frio, a primavera é amena e boa.

    Claro que pode levar a música! não se acanhe. A música está disponível no próprio youtube, no "audioswap". eu troquei o som original, de vento e a gente falando besteira, pela música rs.
    bjs e bom dia

    ResponderEliminar
  29. eu também quero um gatinho...
    relatado assim parece fácil fácil!
    bjs
    Paula

    ResponderEliminar
  30. Eu adoro todos os animais da natureza, mas tenho uma grande fraqueza por gatos...
    Tenho 3 e quem diz que gatos não conhecem o dono enganam-se :)
    Respondem ao nome e sempre que chego a casa está tudo à porta para me receber :)
    E adooroooooooo estar no sofá cheia de frio e eles enroscarem-se a mim.

    ResponderEliminar
  31. Eu tenho um gato que apanhei na rua quando tinha 2 meses e é o oposto do teu :( Arranha-me os sofas todos (tem milhentos sitios proprios para ele e nao quer usar), nao deixa ninguem dar mimos, festas, NADAAA... So se da bem com o cao. Nao é mau, porque nao ataca ninguem, mas nao quer saber de nada nem ninguem.

    Ja estou desesperada, pois ja tem 4 anos e nao tem melhoras...

    Bjs

    ResponderEliminar
  32. E eu que sempre fui acostumada só com cães, bichinho que amoooooooo de paixão!!! Resolvi adotar um gato p/ fazer cia ao meu cãozinho que fica sozinho enquanto trabalho(trabalho em casa, mas não tenho tempo p/ficar brincando com ele, consigo tirar no máximo 1 hora por dia)...

    Me falaram que gato era mais fácil de criar do que cachorro, mas estou vendo total oposto disso. Me arrependi fortemente, mas insisto em ficar com ele pq falaram que ele se apega ao dono, apesar de não parecer, mas....Acabo fingindo que acredito.

    Ele está com 3 meses, mas não tenho como deixar dentro de casa, ele sabe o que não pode fazer pq falo NÃO, falo SAI, o que já borrifei de água nele daria p/encher um rio... E o bicho só escuta quando quer...Então ele acaba passando mais tempo de castigo na área de serviço + pátio do que dentro de casa, pois não consigo ficar 5min tranquila dentro de casa pq ele sai correndo p/comer fio, quer pular na cortina, quer subir no sofá...Ele tem arranhador, brinquedos..inclusive nas primeiras semanas eu nem trabalhei p/ dar atenção total a ele, e nada de melhorar...

    Fora que ele é um pentelho que não pode ver meu cachorro balançando o rabo que quer morder o rabo dele, meu cachorro rosna p/ele e ele se faz de surdo...totalmente irritante isso. Ele tem momentos de fofura, mas são mínimos perto dos momentos de stress...e põe mínimos nisso... ='( Ele me faz ficar com menos vontade de dar carinho nele.. =/

    Será que todos os gatos são assim ou eu que não dei sorte mesmo?

    ResponderEliminar
  33. Anónimo:

    Entendo o seu problema! Mas nem todos os gatos são assim. Os gatinhos jovens são muito brincalhões e cheios de energia, por isso não páram quietos. É mesmo assim, mas depois eles têm tendência para acalmar bastante quando ficam adultos.
    Mas não dá para treinar um gato da mesma maneira que se treina um cão. Os gatos sabem quando estão a fazer uma coisa errada, mas fazem-na na mesma, eles são muito senhores do seu nariz, nunca se tornam submissos e obedientes como os cães, que procuram agradar aos donos.
    Talvez daqui a 1 ano o seu gatinho já fique mais tranquilo e a apreciar longas sonecas junto de uma janela onde bate o Sol (eles adoram). Boa sorte! :)

    ResponderEliminar
  34. =D Tomara! Não vejo a hora...Obrigada!! =*****

    ResponderEliminar
  35. Só para contar que o gatinho que adotei e comentei que era muito elétrico e desobediente, não aguentei ficar com ele e acabei doando para uma amiga. E olha que eu tive muiita paciência, respirei 10x várias vezes do dia, todos os dias, de tanto que ele aprontava. Tentei ensinar o que era certo e errado, e nada, foi muito frustrante. Vou continuar apenas com meu cachorro que tanto amo huahuaua Pelo menos agora o gatinho está feliz, passa o dia solto aprontando o que quer e ao invés de dormir na área de serviço(como era aqui), está dormindo na cama dessa minha amiga pq ela não liga se ele estraga as coisas dela. =)

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário ♥