Oh lixinho bom

quinta-feira, janeiro 31, 2013



















O lixo é cultura também.
Que o digam estas enciclopédias empoeiradas que alguém deitou fora.

Ainda sou do tempo em que as enciclopédias eram vendidas porta-a-porta, eram um investimento para o futuro e as pessoas pagavam em prestações por serem tão caras.

... olha o que o Google lhes fez!

Pois achei-as no lixo e trouxe para casa, sem qualquer pudor. Bem, com a laaaaarga experiência de apanhadora de coisas do lixo, já perdi os fricotes há muito tempo.
Quando alguém vem aqui a casa e vê alguma coisa mais "original", escapa sempre a pergunta: "Veio do lixo?" - hahahah

Como diz o ditado: "O lixo de um pode ser um tesouro para outro."
E, para mim, o conhecimento é um tesouro.
Não me importo nada com a questão da "imagem social", uhhh... o que é que as pessoas vão pensar... Eu quero lá saber! A vida ensinou-me que, se eu penso bem, basta isso.
Os outros podem pensar o que quiserem. É assunto deles, não meu.

Umas vezes, sou eu que trago coisas. Outras, sou eu que coloco coisas que já não quero para que alguém aproveite. E aproveitam sempre. É a energia a fluir.

Certo, Aramis?

Nas páginas da sabedoria,



PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE LER

12 COMENTÁRIOS

  1. Certa vez, me percebi feliz por ter visto nas pés de um mendigo o par de tênis que meu marido havia posto no lixo de tal forma que pudesse ser visto por quem passava.
    Foi o tesouro para alguém.
    A partir dali, não mais tive vergonha de pegar coisas do lixo.
    Também eu, achei mil tesouros.

    ResponderEliminar
  2. Dar e Receber!

    Viva a lei do Universo.
    Gostei da tua frase: "os outros podem pensar o que quiserem. É assunto deles, não meu."

    Concordo contigo.

    Parabéns pelas ofertas.
    eh eh eh

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Achei graça à expressão "já perdi os fricotes" hehe.
    Possuo uma enciclopédia (a Luso-Brasileira) que lamentavelmente me divide muito: ocupa imenso espaço no escritório e nunca é utilizada. O meu marido nem pode ouvir sequer em guardá-la no sótão, quanto mais desfazer dela porque custou um dinheirão... enfim.

    ResponderEliminar
  4. Também ponho muita coisa no lixo que é tralha para mim, mas um tesouro para alguém. Ponho lá coisas e às vezes, passados 10 minutos, já alguém as levou! Adoro!

    ResponderEliminar
  5. Cá na rua há sempre gente de volta dos caixotes. Já trouxe de lá coisas, já deixei lá coisas...
    Acho que o lixo também é um local de partilha.=P

    Já tive uma mesa enorme na sala de jantar, o meu avô lacou-a de branco e ficou linda. Ninguém diria que veio do lixo.

    ResponderEliminar
  6. os outros dois livros não consigo perceber o que são, mas o volume 2 da Larousse é usado ainda hoje cá em casa como se não houvesse google :-)
    paula isabel

    ResponderEliminar
  7. Paula Isabel:

    Os outros dois livros são o volume 1 e 3 da Larousse :)
    E também conto usá-los. Nem tudo vem no Google, e também tem outro encanto andar a folhear papel verdadeiro...!

    ResponderEliminar
  8. Olá Hazel,
    tenho essas enciclopédias na casa dos meus pais! :) Já as usei tanto! Olha, enviei-te um e-mail com umas dúvidas sobre as consultas de tarot, não sei se ´terei enviado para o email correto. Enviei para casaclaridade@gmail.com É assim?

    Beijinhos
    Sara

    ResponderEliminar
  9. Sara:

    Sim, o email está correcto, mas não tenho nenhum email teu... podes enviar novamente, por favor?
    Talvez te tenhas enganado num caracter.
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  10. Oi Hazel!

    É uma pena que tem pessoas que jogam livros fora.O ano passado quando ia buscar minha filha na escola, encontrei vários livros e enciclopédias em uma caçamba.Não tive pudor nenhum, peguei todos! levei para casa, dei uma boa limpada.Colei oque precisa colar e doei para a biblioteca perto de casa...

    O Aramis está lindo nesta foto,rsrs

    Beijo e tudo de bom!

    ResponderEliminar
  11. O Aramis que o diga! Que belo gato ele se tornou, né?

    ResponderEliminar
  12. O Sr. Lixus adora-te. :)

    Por aqui nunca vi nada parecido do que tu encontras.
    O máximo que deve aparecer, são coisas que já não me fazem falta e que eu às vezes deixo lá para quem precisar, aaahhhh.

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário ♥