Como sobreviver aos dias frios sem gastar electricidade

sexta-feira, novembro 22, 2013

Ai Senhores. Está frio. Está frio. Está frio.
Está frio. Está frio. Está ffffffffffffffffffffffffff... rio.

A minha vontade era ir buscar todos os aquecedores do mundo e ligá-los apontados para mim numa tentativa desvairada de recriar um clima tropical com palmeiras, araras e outras aves exóticas a cantar CRÁÁ CRÁÁ CRÁÁÁÁ à minha volta.

Só que não. Estes delírios têm um preço alto. Chama-se "factura da electricidade". Esse malfadado e abominável pedaço de papel que ninguém anseia receber.

Então, decidi tomar outro tipo de medidas. Simples, práticas e, acima de tudo, económicas:

Chá quente. Não apenas para beber, mas também para ficar a segurar na caneca por alguns minutos, enquanto aquecemos as mãos e a alma.

Meias sobre meias, camisolas sobre camisolas. A velha técnica de vestir roupas umas sobre as outras. Dá trabalho, parece que nos estamos a vestir duas vezes seguidas, mas resulta.

Abrir cortinas. Até mesmo nos dias frios de Inverno o Sol por vezes brilha. Todos os dias pela manhã abro as persianas e as cortinas completamente, de forma a entrar o máximo de luz.

Proteger as entradas de ar frio. Isolar as janelas com fita de calafetar e usar um rolo (ou chouriço) no chão junto às portas e/ou janelas.

Fazer um escalda-pés. Quando não conseguimos mesmo aquecer, este recurso é infalível!

Acender velas. Por insignificante que pareça o calor produzido por algumas velas, é um valioso contributo para aquecer uma divisão.

Mantas. Sobre as costas, sobre os joelhos, nas camas, nos sofás, em todos os lugares.

Bolsa de água quente. Para aquecer a cama por dentro antes de dormir.

Pôr o gato ao colo. O Aramis, apesar da sua extensa pelagem, é muito friorento e desespera por aninhar-se ao colo nos dias mais frios. Aquecemo-nos um ao outro, e é tão bom.

Comer sopas quentes. Algumas receitas minhas: Sopa de chuchu. Sopa de sangue (uia!). Sopinhas de gato.

Com o gato ao colo, duas meias, duas camisolas, mantas... e saudosa do Verão,

Hazel

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE LER

5 COMENTÁRIOS

  1. Hummm... parece que com o frio se dá um jeito, né? Ai, é inverno e aqui, verão... calor, calor e calor... os meus e os seus são sofrimentos inversos!

    ResponderEliminar
  2. Ah minha flor, apesar de nunca ter passado por este frio que faz por aí (acho que morreria, o daqui já quase me mata), eu te entendo, ah como te entendo!
    Beijinhos.

    Flores e Luz.

    ResponderEliminar
  3. Inveja é pecado mesmo? Se for estou perdida. Mas te confesso,é a única inveja que tenho. Torço-me de inveja dos países com estações definidas, onde existem invernos de verdade, com ventos gelados uivando através das ruas, céus plúmbeos e uma lareira a arder, vermelha e aconchegante. Se houver uma poltrona bem macia, mantas quentinhas e um gato gordo e peludo como Aramis, para trazer encarapitado no colo, aí,não iria querer morrer é nunca.

    ResponderEliminar
  4. Coma nosas avoas mesmo, je je ,qué calorcinho aconchegante.Beijos

    ResponderEliminar
  5. Eu faço isso quase tudo! Tenho lareira, o que ajuda. E vivo no Algarve, o que também ajuda. Mas o melhor mesmo para aquecer é o gato! Uma das minhas gatas dorme comigo na cama, debaixo dos lençóis, a noite toda, e é tão bom e tão quentinho!!!

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário ♥