Serpente de Fogo

[Ficção]

Há um fogo que me envolve e consome incessantemente, sem que eu me transforme em cinzas. Desde as entranhas do meu ventre, eleva-se uma serpente maior do que eu, arrepiando-me as costas e roçando levemente os seios, numa ondulação sinuosa que os meus cabelos de medusa acompanham nesta dança simultaneamente diabólica e divina.

A sua língua bifurcada de labaredas lambe-me a parte de trás do pescoço, apoderando-se de mim enquanto os dentes afiados se enterram na minha pele sem que seja derramada uma única gota de sangue.

Nenhum segredo lhe é velado.
Os seus olhos hipnóticos, escondidos por trás dos meus, desvendam mistérios enquanto o meu sorriso mefistofélico se compraz de satisfação.

Sussurra-me ao ouvido o seguinte: "Há um fogo que me envolve e consome incessantemente, sem que eu me transforme em cinzas..."

No sibilar da serpente,

Sedução


E todo o Universo parecia converger para um único ponto: os seus lábios proibidos, que traziam promessas de beijos húmidos como o gotejar do mel, doces como o néctar da madressilva e, contudo, venenosos como o cianeto.

[Que foi? O post acabou aqui. Não há mais texto. Ah. Queriam mais.]

Beijos venenosos,

Hazel


Oração à Mãe Cósmica - para proteger a casa e o amor


Esta oração à Mãe Cósmica, que corresponde à fonte do Amor na sua expressão mais sublime, pode ser realizada em casal, como um acto de Magia a dois.

O seu propósito é criar uma aura da protecção, serenidade, amor, e dissolver ressentimentos, mágoas e encantamentos que possam estar a bloquear o percurso do casal.

Recomendo que seja escolhida uma 6ª feira para o efeito.

Depois de limpar a casa, queime incenso como oferenda e visualize pétalas luminosas de rosa a espalharem-se por todas as divisões da casa. Fale com o coração:

"Ó Ísis! 
Mãe do Cosmos, raiz do amor, tronco, capulho, folha,
flor e semente de tudo o que existe.
A ti, força naturalizante, conjuramos.
Chamamos a Rainha do Espaço e da Noite… 

E beijando os teus olhos amorosos, bebendo o orvalho dos teus lábios,
respirando o doce aroma do teu corpo, nós exclamamos:

Ó, Nuit! 
Tu, eterna seidade do céu, que és a Alma Primordial,
que és o que já foste e o que serás.
Ísis, a quem nenhum mortal levantou o véu.

Quando tu estiveres sob as estrelas irradiantes
do nocturno e profundo céu do deserto,
com pureza de coração e na chama da serpente, nós te chamamos:

RAM-IO… RAM-IO… RAM-IO…"

Sobre pétalas de rosas,

Hazel

Podes MESMO fazer tudo o que quiseres.

Ainda a respeito de alimentar a alma, senti que ficou por dizer algo importante.
Quando escrevi que podes fazer tudo o que quiseres, realmente acredito nisso.
Sinto que muitos de vós acharam que isto são palavras bonitas - porém, utópicas - porque acreditam  que para fazer ou aprender algo de novo, é preciso ter d-i-n-h-e-i-r-o para isso.

Não é verdade. Não é preciso dinheiro, mas VONTADE. Garra! Ganas!

Para provar que estou certa, reuni algumas sugestões de actividades divertidas e interessantes que estão disponíveis gratuitamente na internet:


Aulas de yoga para principiantes
Aulas de guitarra para principiantes
Dança do ventre
Aprender uma língua estrangeira - noções básicas de Italiano
Fazer cestaria reciclando folhas de jornal
Pintar a pastel
E agora, qual é a vossa desculpa?

Hazel

Sejamos Sol

Sejamos Sol, e nunca seremos velhos. O segredo da eterna juventude não é viver para sempre, caminhando no mundo como numa linha espaço-temporal contínua.

É, sim, deixarmo-nos morrer para depois renascer. E fazê-lo sucessivamente.
Assim como o Sol faz todos os dias, haja paz ou guerra, haja alegria ou sofrimento.
Quer consigamos vê-lo, quer esteja encoberto pelas nuvens.


Deixemo-nos brilhar e permitamos que a nossa luz irradie em todas as direcções, não prestando atenção se houver quem aprecie, critique, menospreze ou inveje.
Brilhemos apenas, sem depender de ninguém para isso. Assim como o Sol.
Está na sua natureza brilhar, assim como na nossa.

Deixemos que o Sol, quando se queda na linha do horizonte ao fim do dia, e lança o seu último raio de fogo que varre a luz da superfície da Terra, varra também aquilo que nos pesa, que nos magoa, que nos incomoda, que nos faz sofrer. Nada disso é luminoso.

Honremos a nossa essência. Deixemos esvaziar-nos de toda a carga que acumulámos ao longo do dia, deixemo-nos morrer, cair no poço sem fundo do esquecimento ao adormecer... para depois renascer no dia seguinte. Começar tudo do zero. Fazer o reset. Sem bagagem.

O elixir da eterna juventude bebe-se pela manhã. Um sumo de laranja acabado de espremer misturado com a consciência de que acabámos de nascer naquele dia, porque nos deixámos morrer na noite anterior. Assim como o Sol.

Envolta em Luz Solar,