O menino que descobriu a casa do Pai Natal

terça-feira, dezembro 16, 2008

Conforme prometido, eis a minha história (espero que gostem e a contem aos vossos filhos/alunos):

Era uma vez um menino que foi passar o Natal em casa da avó.

A avó vivia numa casa muito grande e antiga, e ele ficou a dormir no quarto azul, no andar de cima.

Esse quarto nunca era utilizado, mas despertou a curiosidade do menino, devido a um baú invulgar que lá havia. Quando já todos dormiam a sono solto, o menino acendeu a luz, saiu da cama, e ajoelhou-se em frente ao baú. Abriu a tampa e - nem imaginam! - Lá dentro havia uma floresta. Sim, uma verdadeira floresta mágica...

Ele entrou no baú, e imediatamente, viu-se rodeado de muitas árvores de frutos.
Tudo à volta era lindo!

Havia uma macieira que tinha maçãs tão vermelhas e brilhantes como nunca tinha visto. Estendeu o braço para colher uma maçã, quando, de repente...

- Fssssssssss......... Estas maçãs são minhas! - Falou uma cobra, que se revelou sinuosamente por entre os ramos.
- Oh desculpe, Sra. Cobra. Não sabia. As maçãs são tão bonitas. E eu só ia tirar uma.
- Eu dou-te uma maçã, menino. Mas primeiro trazes-me aquele ananás ali ao fundo, vês?

O menino dirigiu-se a um ananás que estava no chão, mais à frente, e começou a puxá-lo.
- Oh não!! Por favor, não, não, não! Não me faças mal! - Implorava um ratinho, de olhos vivos e bigodes compridos, que saiu lá de dentro.

O menino ficou espantado.
- Olha... um ratinho! Tu vives dentro do ananás?!

A cobra tinha-o enganado. Ela não queria o ananás, mas o ratinho que lá vivia dentro.
O menino e o ratinho ficaram amigos, e este, para lhe agradecer por ter tido a sua vida poupada, decidiu mostrar-lhe um sítio especial, que nunca tinha sido visto por ninguém de fora da floresta mágica.

Depois de muito caminharem, chegaram a um lugar onde tiveram uma visão espantosa: uma bola de vidro enorme, gigante, colossal!

- Uau... que sítio é este, ratinho?
- Shhh... já vais ver. Aproxima-te mais.

Dentro da bola de vidro gigante havia uma casa, duendes apressados e música a tocar.

- É uma fábrica de brinquedos?! - Perguntou o menino, maravilhado.
- Oh... mais do que isso... É a casa do Pai Natal. - Esclareceu o ratinho.

Ele aproximou-se mais, até ficar com o nariz encostado ao vidro, quando, de repente...
- Olhem, manos! Está ali um menino! - Gritou um dos duendes.

O menino esboçou um sorriso tímido, e meio assustado, sem saber se deveria ficar ou fugir daqueles invulgares seres de orelhas pontiagudas, olhos grandes e sapatos compridos.

Os duendes ficaram contentes por finalmente terem conhecido um menino a sério, e imediatamente o convidaram a entrar. O menino, depois de ter percebido que não havia perigo, aceitou. Mas como poderia passar através do vidro para dentro da bola?

- Só os seres mágicos é que conseguem entrar e sair. Mas o Pai Natal pode fazer um feitiço que te vai fazer entrar. Espera um pouco.

- Rooooooonc! Ronnnnncc! - O Pai Natal dormia uma sesta, e ressonava tranquilamente.
- Pai Natal... Pai Natal.... Pai Natal!!!
- Ronnn... hã? Hum? Ah... Olá, Duende Lino.

O duende contou que havia uma rara visita. Momentos depois...

- Vupt! Vapt! Vjuzzz plin! - O Pai Natal fazia gestos no ar e dizia estranhas palavras com poderes mágicos. Num piscar de olhos, o menino já estava dentro da bola de vidro.

- Então e o meu amigo? - Apontou para o ratinho, que dizia adeus, enquanto se preparava para regressar ao seu ananás.
- O ratinho tem de voltar, pois tem de tomar conta do ananás. É a sua missão.

Os duendes e o Pai Natal mostraram ao menino o mundo encantado que havia dentro da bola de vidro. Havia brinquedos por todo o lado, guloseimas, passarinhos, instrumentos musicais que tocavam sozinhos por magia, e um cheirinho a chocolate quente no ar.

O menino brincou muito, comeu doces, e depois o Pai Natal disse:
- Está na hora. Tens de voltar para casa.

O menino já não sabia o caminho de regresso, e começou a chorar.

- Tem calma, meu menino. Não tarda nada, já estás na tua caminha. Olha quem vem aí.
Era uma rena pequenina, de pêlo castanho e sedoso.
O menino subiu para a rena enquanto o Pai Natal segredava qualquer coisa ao ouvido do bichinho.

Ela começou a voar, e o menino, com medo de cair, fechou os olhos com força e agarrou-se às pregas do pescoço da rena, enquanto ela atravessava o céu negro e estrelado.

De repente, o menino deixou de sentir o vento nas orelhas, e quando abriu os olhos... estava agarrado ao cobertor da sua cama.

Ao lado da sua almofada ficou um Pai Natal de chocolate, que ele comeu, e voltou a adormecer no conforto da sua caminha.

[Protegido por Direitos de Autor.]

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE LER

30 COMENTÁRIOS

  1. Linda história...espero que estajam melhores!!!!

    Bjus linda!

    ResponderEliminar
  2. OI Hazel, sua imaginação me encanta!! Linda esta história!! Muita magia, muito encanto, uma história que pode agradar a todas as crianças! E os adultos também!!

    ResponderEliminar
  3. É sempre bonito ouvir e lêr histórias de encantar.
    Faz-nos sentir felizes por perceber que o mundo, quando queremos, pode ser encantado e cheio de duendes e Pais Natal.

    JM

    ResponderEliminar
  4. Adorei!!! :)
    Simples e ao mesmo tempo cheia de coisas...mágicas!

    Não me canso de dizer: que sorte a do L. ter uma mãe que até inventa histórias para ele melhorar e não se aborecer de não poder sair de casa.

    Adoro o pormenor do baú na casa da avó!!! quem não tem um baú mágico na casa da avó??? Eu tenho, cheio de objectos que me lembram a sua existência mágica.

    Obrigada meu Anjo criativo (criador)!

    ResponderEliminar
  5. Hazel que deliciosa história.Apesar de ser professora não tenho esse seu dom de escrever tão divinamente.
    Com certeza contarei para meus alunos.
    Ao ler fui imaginando as cenas como se fosse um filme.
    Bjs de sua humilde aprendiz!

    ResponderEliminar
  6. que lindo. amei!
    Principalmente do ratinho protegido pelo ananás... Que delicadeza.
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. Que linda a história !!! Vc é realmente especial !!!
    Bjuss *

    ResponderEliminar
  8. Bela história !
    Bom que ficou curada, e o L. também.
    Meu computador ficou doentinho também e não pude escrever durante uns dias.
    Beijo

    ResponderEliminar
  9. antes de ler o post vim correndo contar uma coisa:
    cliquei em teu blog na minha lista, enquanto carregava a pagina fui ver minha caixa de email...
    cliquei em enviar e receber e chega um comentario teu....
    ta vendo?
    estamos unidas mesmo com um oceano a nos separar....
    agora vou voltar pra ler a historia

    ResponderEliminar
  10. Que lindo Hazel...
    So mesmo voce com toda sua docura, em saber inventar uma historia dessas...
    E que tal inventar mais historias pra gente?
    Sera que o L. deixa? rs...
    Vou passar teu blog pra Isabela ler a historia pra dorinha que esta de ferias aqui comigo...
    Ahhh....as ferramentas eu e Bi arrumamos...eh vapt vupt...
    ele porque nao gosta e bagunça e eu porque morro de ciumes de minhas ferramentas e quero tudo no lugar certinho...
    beijocas querida

    ResponderEliminar
  11. acabou de chegar outro comentario teu...rs...
    cabra da peste não é palavrao...
    e aqui no Brasil ela é usada tanto pras coisas boas como pras coisas ruins..
    Exemplo:
    Essa Margaret é uma cabra da peste... (quer dizer que sou legal, decidida, determinada...)rs.
    Entao no caso do teu comentario a anonima é uma cabra da peste de invejosa e mal amada...
    kkkkkkkk
    Mas eu nao liguei nao..me diverti horrores...tanto é que resolvi fazer do comentario dela um post piada...rs...
    beijos de novo

    ResponderEliminar
  12. Qué bella esta historia Hazel!! Yo soy adulta pero adoro las historias y cuentos♥♥
    Un beso muy grande y que tengas un lindo día amiga!!

    ResponderEliminar
  13. Oi Hazel...achei a história linda, já contei pro meu filho!
    Obrigada pela visita !
    bjocas pra vc tbm !

    ResponderEliminar
  14. QUE BOM ESTÁS MELHOR.
    VC E L.
    CONTEI SUA LINDA HISTÓRIA PARA MINHA FILHA E NEM PRECISEI PERGUNTAR SE ELA GOSTOU POIS ME RESPONDEU COM UM BRILHO NOS OLHOS.

    BEIJOS QUERIDA

    ResponderEliminar
  15. Hazel, querida, será que estamos vendo nascer a mais nova escritora de livros infantis aí de Portugal?! Você tem o dom; já te falaram, não é ? Beijos e que venham mais histórias.

    ResponderEliminar
  16. ao ler a história me encantei, fico imaginando uma criança ouvindo-a contar, com certeza algo mágico e fascinante.
    beijos

    ResponderEliminar
  17. Que delícia de história.......escreve um livro menina........te adoro..muitos beijinhos.......

    ResponderEliminar
  18. Olá Hazel,

    Como vi que é fã da Joanne Harris deixo-lhe aqui um convite para visitar o blogue sobre a Joanne Harris (http://joanneharris.blogs.sapo.pt) Fico à espera da sua visita.
    Boas leituras!

    ResponderEliminar
  19. Adorei a história!!!!!!!!!!!
    Encantadora!!!!!
    Beijo :)

    ResponderEliminar
  20. Hazel, a história é linda, vou lê-la para meus meninos assim que for colocá-los para dormir.
    Sou uma chorona, li o texto e imaginei cada palavra e essa música no fundo... Pura inspiração.
    Eu tenho quase certeza que a casa de Pai Natal, seria a mesma que a Casa Claridade.

    Estou com visitas em casa assim que arrumar um tempo para mim, vou responder aquele Meme lindo que me passaste.

    Obrigada por tornar o Natal mais mágico.

    Beijins com felicidades:*

    ResponderEliminar
  21. Oi, Hazel! L. está bem, que bom que voltou a escrever. Bonita a história, vc criou? Bjs

    ResponderEliminar
  22. Gabriel, sim fui eu que criei.
    Fico feliz por ter gostado!
    Obrigada

    ResponderEliminar
  23. Un fermoso conto de Natal
    Alégrome que curaras a túa catarreira.
    Bon día

    ResponderEliminar
  24. Acabo de leer abaixo, que o conto o inventaches tí, para o téu maniño,inspirándote na bola do Natal
    !!Que fermoso!!,
    O L. estará muito feliz coa súa mamá!!
    Un beijo

    ResponderEliminar
  25. Que lindoooooooooo! Adorei! E vou conta-la ao David!
    Mais um dom que descubro em ti :)
    Beijinho graaaaande para a fada com uma imaginação que nunca mais acaba...

    ResponderEliminar
  26. Muito bonita a história, Hazel!
    Aposto que o L. sentiu-se na pele do protagonista, rssss...
    Bjs

    ResponderEliminar
  27. Engraçado como a gente entra história e deixa a imaginação correr solta. Amei demais.
    Apesar de a Isadora não entender muito bem, espero guardar para contar quando passar a enteder!
    Linda demais
    Beijos
    Carol

    ResponderEliminar
  28. Estou atualizando as leitura e amei o seu texto lindo e cheio de magia! Beijos

    ResponderEliminar
  29. can you email me: mcbratz-girl@hotmail.co.uk, i have some question wanna ask you.thanks

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário ♥