Casa Claridade - como tudo começou | Casa Claridade

04/02/10

Casa Claridade - como tudo começou

Nunca vos contei como começou a Casa Claridade. Eu própria já me tinha esquecido!

Há mais de 2 anos atrás, descobri um blogue que pertence a uma conceituada revista de decoração brasileira (não vou mencionar nomes...!).
Como tenho paixão por decoração, passei a visitá-lo com frequência.
A autora parecia simpática e, como tinha o email disponível, escrevi-lhe.

Elogiei o seu trabalho, disse-lhe que sonhava um dia também poder fazer o mesmo, que sou de Portugal, blá blá blá. Com toda a humildade e sinceridade.
E ela respondeu-me, dizendo que tinha sentido uma grande afinidade comigo.

Ah, fiquei toda entusiasmada! Enviei-lhe algumas fotos das minhas decorações aqui em casa. Talvez ela até resolvesse publicá-las lá no seu blogue. Ou não.

Ela nunca mais me respondeu... Oh...
Talvez as fotos não fossem assim tão boas, ou as ideias tão interessantes.

Fiquei triste por a mesma pessoa que disse sentir "uma grande afinidade", num instante ter passado a ignorar os meus emails. Talvez se achasse demasiado importante.

Ninguém lida bem com a rejeição, e eu não sou excepção. Fiquei chateada por 1 ou 2 dias.
Depois passou! Tirei a minha aprendizagem e segui para a frente. Como sempre faço.

Foi então que descobri, completamente por acaso (e que feliz acaso!), que se podem criar blogues gratuitamente e que nem é assim tão difícil.
Nunca tinha sequer colocado a hipótese, no entanto, a minha cabeça fervilhava de ideias e precisava desesperadamente de escrever, partilhar, comunicar. Era uma necessidade louca!

Criei a Casa Claridade. Durante muito tempo, a sua imagem foi esta que aparece neste post.

Voltei a tirar fotos aqui em casa, e publiquei-as. Escrevi sobre aquilo que gosto, com paixão. As pessoas gostaram, e comecei a receber cada vez mais visitas e mais comentários. Fiz amigos. Desencantei-me de outros. Ri muito. Chorei. Dancei. Emocionei-me. Aprendi.

Aquela rejeição foi a melhor coisa que me aconteceu. Estou tremendamente grata por isso. Já estive até para enviar um email à tal senhora a contar-lhe tudo e a agradecer-lhe por me ter ignorado. Sem ironias, a sério. Se não fosse ela, provavelmente eu não estaria aqui.

Tinha eu dito que o meu sonho era poder escrever sobre as coisas que gosto...
... pois, sonho realizado!

Agora sou eu que recebo emails dos meus leitores. E faço questão de responder a todos.
Não é fácil, pois são muitos. Mas respondo. Vocês sabem. Não ignoro ninguém.

Porque também eu já fui leitora.

P.S. - Por favor, não se lembrem todos de me começar a enviar emails desenfreadamente agora, hã? É certo que respondo a todos, mas tenham bom-senso; eu sou só uma (1!). :))