Quando eu for anciã... | Casa Claridade

19/11/13

Quando eu for anciã...

Lista de resoluções para quando eu chegar à terceira idade:

Primeiro, quero lá chegar. Essa ideia de "Live fast and die young" só é fascinante quando achamos que vamos viver para sempre. Ou seja, até aos 25 anos. Daí em diante, quanto mais avançamos, mais nos apercebemos da fragilidade da vida.

Segundo, não quero ser chata e séria.
Quero rir-me sempre, nem que seja das vozes imaginárias na minha cabeça. Ou dos fantasmas que insistem em troçar dos vivos e apenas eu os oiço. Quero rir-me da cara dos outros condutores quando parar num semáforo e ficarem surpreendidos com as caretas que a velha doida do carro ao lado lhes fez.

Terceiro, quero ser gira. Ainda que tenha mamas descaídas, (ai que desgosto), quero usar as mesmas roupas de boneca que gosto de usar, e ter cabelos compridos, mesmo brancos. Ou cinzentos, tanto faz. Um dia, podia pintá-los de cor-de-rosa só para chocar as vizinhas da minha idade e mostrar-lhes que posso fazer tudo o que quiser, como sempre pude.

Quarto, quero ter uma cadeira de baloiço que me embale, onde possa dormir longas sestas ao Sol sem que ninguém me chateie, com uma manta sobre os joelhos, um gato ao colo e um livro erótico que comecei a ler. Uia!

Quinto, quero morar perto das minhas comadres. Eu hei-de ter comadres que hão-de vir visitar-me para beber chá e tecer o fio da vida em conjunto comigo. As pessoas vão pensar que é chá que bebemos (até vocês pensam), mas, na realidade, será licor de whisky.

Sexto, quero ser feliz. Velha ou nova, bonita ou feia, não importa. Quero ser feliz e ter quem me ame nos meus devaneios, nos meus silêncios e nos momentos em que canto as músicas de quando era nova e os vidros se estilhaçam.

Sétimo, quero cheirar bem. Não quero usar perfumes com cheiro a naftalina. Nem perfumes simples e discretos como uso actualmente. Quero cheirar a um perfume sexy e atrevido.

Aqui estou, a declarar ao Universo. Hazel. 36 anos. É isto que quero.

Sem pressa nenhuma,