Velha Gaiteira! | Casa Claridade

05/05/14

Velha Gaiteira!


Faz hoje 37 anos que esta vossa escriba nasceu. Trin-ta-e-se-te-a-nos.

E a que é que sabe ter 37 anos?
Sabe a elefantes voadores, yogurtes com espinhas, girafas saltitantes e comboios de papel. Eu sei lá a que é que isto sabe!

É esquisito e faz-me medo. Tenho medo de fazer anos, sinto-me estranha, desajustada, apetece-me esconder-me dentro de um casulo até o dia passar depressa e voltar tudo ao normal.

Ai, Hazel, que desmancha-prazeres. E sou.
Estou chata e rabugenta como uma velhinha de 600 anos.

Com mil vassouras, se não me viro do avesso e, já que fiquei velhinha, pelo menos, quero ser uma velha gaiteira, alegre e doida. Daquelas que falam sozinhas e usam chapéus originais. Oh, o drama. Deixai-me habituar-me à ideia, mundo cruel. Deixai-me transformar esta crise de meia-idade em... em... em... maturidade.
Até custou escrever. Apre.

Escondida num canto qualquer,