Quanto mais simples, melhor. | Casa Claridade

04/11/08

Quanto mais simples, melhor.

Ontem tive que dar prioridade aos afazeres domésticos, os quais me revelaram duas tão grandes verdades, que não posso deixar de compartilhar:

1º - Descobri que quando queremos que chova... basta lavarmos as janelas;

2º - Também descobri, afinal, para que servem as ancas das mulheres: para apoiar o alguidar da roupa, quando nos dirigimos para o estendal...!
(Não pensem que estou a fazer de conta que desconheço as outras utilidades das nossas ancas, mas isto é um blogue familiar)

Avancemos, e deixemos de lado as minhas "profundas" divagações...

Costumo fazer alterações na decoração a cada 2/3 meses. Faço-o, porque, quando mantemos os objectos em movimento, assim também estarão as energias...

Quando olhamos em volta, e já não distinguimos umas coisas das outras, apenas vemos o todo, significa que está na hora de "baralhar e voltar a deitar as cartas".

Para ter novos focos de interesse na decoração, não é preciso andar sempre a correr para a loja. Nada disso.

Com um pouco de carinho e dedicação, podemos usar os recursos da Natureza e fazer os nossos próprios elementos decorativos. Quanto mais simples, melhor. Vejam se não tenho razão:

Pedindo a devida licença à Mãe-Natureza, "esgueirei" as mãos por entre os arbustos de uma propriedade vizinha, e "subtraí" alguns ramos de hera, para fazer uma coroa (guirlanda, no Brasil).

Não pode existir nada mais fácil de executar. Bastou entrelaçar os ramos uns nos outros, e depois atar em cima com um pouco de ráfia.

A hera é um dos esconderijos favoritos dos duendes e protege a casa de espíritos malignos.

É um símbolo de longevidade - existem alguns exemplares de hera que atingiram 400 anos! - e de fidelidade, devido à sua ligação com a mitologia grega.

Algumas pessoas consideram-na uma praga dos jardins (eu acho que a praga são as próprias pessoas).

Então, tenho, ou não, razão?