Fada dos Bosques | Casa Claridade

06/07/14

Fada dos Bosques

O anoitecer de Domingo com música a tocar e uma folha de papel estendida à minha frente iluminada pelo quebra-luz de cor verde-floresta. Um yogurte de frutos do bosque de um lado, e os lápis-de-cor do lado oposto. 

Hoje é o meu dia de folga, que eu também mereço. Não respondo a emails, não quero saber de nada. Estou de pés descalços, um vestido velho e o cabelo preso num carrapito - oh, amigos, é a idade. A idade traz-nos carrapitos no cabelo e outros hábitos assim estranhos que nem me atrevo a relatar para não assustar ninguém.

Terminei a minha Fada dos Bosques. Foi uma viagem maravilhosa ao Reino das Fadas!
Pintar é um pouco como dançar. Quando nos entregamos, tudo o resto desaparece. 
E em cada traço, em cada movimento, pintamos um novo mundo.

Beijos de todas as cores,