Sabes que és de Carcavelos quando

domingo, janeiro 29, 2017


Só quem é de Carcavelos para entender.

A5
Sais nas portagens da A5 em S. Domingos de Rana e quando fazes a curva do Stand J. Iglésias (se fores mesmo de Carcavelos, sabes que o 'J' não é de Júlio, mas de José), respiras fundo e relaxas porque já te sentes em casa.

"Banco dos Pich@s Murchas"
Recordas-te dos bancos de pedra - e das palmeiras - no Largo de S. Domingos de Rana para os velhinhos se sentarem, onde um dia um engraçadinho qualquer se lembrou de escrever a graffiti: "Banco dos Pichas Murchas" (desculpem a citação!). Ainda te ris disso. Não se faz; é errado, muito errado, hum (ainda mais agora, com o Viagra)?

Marginal e praias ao fim-de-semana
Esquece. Se fores a casa de alguém, vais sempre "por dentro". Evitas a Marginal e a praia nos fins-de-semana à tarde porque estão lá todos os habitantes da linha de Sintra, que são 377.835 e vêm sempre nervosos por causa do trânsito.

Habitantes
Carcavelos tem 23.437 habitantes e todos se conhecem, pelo menos, de vista.

Feira de Carcavelos
Às quintas-feiras de manhã já sabes que há sempre confusão e carros estacionados por todo o lado à volta do recinto da feira de Carcavelos - que deixou de ser o local de trabalho predilecto dos carteiristas desde que a Polícia passou a estar presente. Entretanto, o contrabando reduziu substancialmente - não se pode ter tudo, ora.

Redes sociais
Sabes que a rede social mais antiga que existiu foram os tanques da Rebelva e os cafés de bairro. O facebook é um bebé ao pé da velocidade com que aquelas senhoras faziam circular informação, tão fidedigna quanto as notícias do 'Inimigo Público'.

Vinho de Carcavelos
Sentes orgulho pelo Vinho de Carcavelos, de tradição secular e reconhecido internacionalmente, e não te conformas por ter mudado o nome para Villa Oeiras. Bolas!

Noites de Verão
Ninguém dorme durante o Verão com a música dos arraiais dos santos populares, maçada que se suporta alegremente enquanto se petiscam umas sardinhas assadas na brasa acompanhadas por um copito de sangria. Chateia mais aturar os adolescentes imberbes que estão de férias e se juntam na rua a fazer barulho até raiarem os primeiros alvores - mas no dia seguinte o Sol é esplendoroso e esquece-se tudo.

Cleópatra de Carcavelos
Provavelmente, já viste a funcionária dos Correios de Carcavelos (que agora funcionam na Rebelva), que é a reencarnação da Cleópatra, com um cabelo negro como a noite, liso e espelhado como a superfície do Nilo e mitologicamente saudável e brilhante. A senhora é realmente enigmática, uma personagem que escapou dos livros e foi ali parar por acidente.  

Quinta dos Ingleses
A tua mãe avisava-te para não passares pela mata da Quinta dos Ingleses, como se fosses encontrar ali o lobo mau. Ias sempre pela estrada. Aquilo não era para brincadeiras. Mesmo.

Calado
Sabes quem é o Professor Calado. Se calhar, preferias não saber. Haha!

Passarada
É normal que tenhas gaivotas a sobrevoar a tua rua. Se moras na Rebelva, estás habituado ao canto esganiçado (grito talvez seja mais adequado) dos pavões. Por toda a freguesia, voam melros, pardais, pombos e rolas. E algures, ninguém sabe bem onde, há sempre um galo que não falha o nascer do dia. Todos o ouvimos, estejamos onde estivermos.

Barcos na cama
Sabes quando está nevoeiro mesmo antes de te levantares porque consegues ouvir as buzinas de nevoeiro dos barcos como se eles estivessem a navegar junto à tua cama. OOOMMM!

Plim! 
Ainda te lembras do Plim, o centro comercial alternativo, meio punk, meio underground, onde o fumo de tabaco e de outras substâncias era tanto que não conseguias ver um palmo à frente do nariz. Ainda existe, agora sem fumo, com cabeleireiros afro, lojas de tatuagens e piercings, de instrumentos musicais, esotéricas e de indianos que reparam telemóveis. Colado ali mesmo ao lado, está o Centro Comercial de Carcavelos, com o cinema Atlântida Cine, que funciona há mais de 30 anos - embora nunca te lembres de lá ir.

Betinhos da linha
És visto como um betinho, mesmo que tenhas usado calças "Leve's" compradas na feira de Carcavelos durante a adolescência.

Droga
Lembras-te que os foguetes lançados à noite não eram para anunciar festas, mas para avisar que tinha acabado de chegar a droga às Marianas - que hoje já não existem.

Carteiros
Não costumas reparar, mas todos os carteiros em Carcavelos são simpáticos, reflexo da atitude afável, educada e voluntariosa da grande maioria dos habitantes. Não existem carteiros antipáticos nesta freguesia.

Legrand
Sabes que a Legrand se chamava SIPE antes de ter sido comprada pelos franceses.

Não há piropos
É verdade. Os homens já não mandam piropos às mulheres em Carcavelos. Isso era antigamente. Hoje, se tal acontecer, é porque eles não são de cá (também pode haver a hipótese de eu já estar fora de prazo para receber piropos; nesse caso, desconsiderem este item).

Feira de tralhas em segunda mão
Sabes que à quarta-feira de manhã existe mercado no Centro Comunitário de Carcavelos, onde podes comprar roupa, livros, brinquedos, bricabraque e todo o tipo de cangalhada engraçada por valores simbólicos. Sabes também que tens de ir cedo para apanhar as melhores pechinchas.

Trânsito Zen
Estás habituado a conduzir pacatamente e com respeito pelos outros automobilistas em Carcavelos. É assim que se conduz aqui, mas não podes fazer o mesmo em Lisboa, senão és fustigado, insultado, cilindrado e talvez até mesmo esbofeteado.

O Crocodilo da Alagoa
Existe um crocodilo de pedra em tamanho real no fundo do lago da Quinta da Alagoa, mas só o viste se fores um dos habitantes mais antigos.

O Pitrolino
Aliás, se fores mesmo muito antigo, até te lembras do "Pitrolino", o simpático senhor que tinha uma mercearia inteira enfiada dentro de uma carrinha e parava em todas as ruas para as donas-de-casa fazerem as suas compras, antes do surgimento das grandes superfícies comerciais. Não tinha caixa registadora, as contas eram feitas num bloco de papel às riscas verdes e brancas.

Gatos
Se fores um gato esperto, vens viver para Carcavelos. Aqui safas-te com as taças de comida que há sempre escondidas nos cantinhos e no meio dos arbustos junto aos prédios, para os bichanos que vivem na rua.

Casas assombradas
Já ouviste várias histórias de casas e apartamentos assombrados onde ninguém consegue morar, todas contadas por alguém-que-conhece-alguém-que-conhece-alguém-que-conhece-o-dono.

Biblioteca Itinerante
Havia também a carrinha da Biblioteca Itinerante, mas dessa já só eu me devo lembrar, pois era a única leitora que ia requisitar livros, e acabaram por deixar de circular na minha rua porque não compensava. Snif.

Santini
Estás radiante por ter o Santini ao pé de casa. Viva! Agora sim, tens a certeza que moras no melhor lugar do mundo (não fui paga para escrever isto, embora, se os senhores do Santini quiserem, aceito agradecimentos em forma de bolas de gelado e crepes, e até alinho em provar todos os sabores e em dar a minha opinião - tudo pelo bem da freguesia, claro está!).

Por muitos lugares bonitos que conheças, se és de Carcavelos, é sempre a Carcavelos que regressas.

Ah Carcavelos. 💗

Hazel

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE LER

47 COMENTÁRIOS

  1. Também costumava requisitar livros na biblioteca itinerante portanto não estás só.O crocodilo de pedra, com tantas obras desapareceu mas também haviam sapos de pedra e na Rebelva também há outro banco das "pichas murchas".... :)

    ResponderEliminar
  2. Sou de Oeiras e só me escaparam 2 ou 3 pontos nesse texto!
    Faltou as festas do Carquistão, o Calhau da Praia de Carcavelos...a esplanada do Café São Jorge, as antigas passagens da linha do Comboio...
    Muito bom...foi uma viagem à adolescência!
    ��

    ResponderEliminar
  3. Sou de Carcavelos,nasci em 76,e tive e tenho a oportunidade de vivenciar esta tão bela terra.o meu pai tinha um café na rebelva,o lagoa azul.saudades da infância passada em Carcavelos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu agora estás mesmo "velho" o velho hahahah (alcunha dada na altura dos moços ^_^

      Eliminar
  4. E a bola nivea onde toda a gente se encontrava?

    ResponderEliminar
  5. Sou de Carcavelos,nasci em 76,e tive e tenho a oportunidade de vivenciar esta tão bela terra.o meu pai tinha um café na rebelva,o lagoa azul.saudades da infância passada em Carcavelos...

    ResponderEliminar
  6. E de andar à pancada com os "pézinhos", uma bela família cigana de Carcavelod!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Correção: os pezinhos não eram/são ciganos e eram de oeiras! Mas sim, eram comuns as zaragatas com estes meninos

      Eliminar
    2. Também me lembro do terror que o "pézinhos" espalhavam no Liceu de Oeiras...ahahah bons tempos!!

      Eliminar
    3. Sou de São domingos de Rana,uma vez os pezinhos vierao a robar i levarão boas pancadas.este ano fui a Portugal i são vezinhos da minha mãe.mas todo fico na infância.

      Eliminar
  7. É havia a SAPEC - Sociedade Anônima dos Polidores de Esquinas de Carcavelos:-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... a essa pertenci eu, a polir as pedras de frente do Café S. Jorge.

      Eliminar
  8. Sou de Carcavelos de 66 e tenho que falar nos fantásticos bailes da Rebelva as festas de Carnaval e O famoso São João da Rebelva, a carrinha dos gelados com a sua música inconfundível !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ei lá... Também me lembro da carrinha dos gelados!!! Aquilo era ouvir a música e parava-se o que se estivesse a fazer :)

      Eliminar
  9. Bem, só posso dizer que o texto é bem vivo! Beijos!

    ResponderEliminar
  10. Pois é... Não sendo eu propriamente de Carcavelos é frequente dar uma voltita por essa vila, matar algumas saudades, por exemplo não do Atlântica Cine porque a esse nunca fui, mas sim do Victória Cine, só por fora, hoje um ginásio que é um dos negócios da moda... Nunca fui à feira de Carcavelos. Vinho de Carcavelos: Tenho duas garrafas, uma dos bons velhos tempos da minha juventude, com o rótulo naquele tipo de letra Gótica, autentico, produzido nas Velhinhas Adegas da Quinta do Barão. Esse sim é VINHO DE CARCAVELOS, que dê Deus muita saúde a quem me a ofereceu! outra garrafa, não do Casal das Manteigas no Arneiro, mas sim vinho produzido na Quinta dos Pesos em Caparide, onde, segundo quem me a ofereceu, (já não faz parte do numero dos vivos) foram replantadas todas as cêpas retiradas da Quinta do Barão, aquando da construção do viaduto e da estrada que liga a marginal aos acessos da A 5. Tal como o vinho do Porto, o vinho de carcavelos passou a produzir-se em qualquer lado. Marginal: Moro na linha de Sintra e nunca fiquei agastado com o transito ao Domingo à tarde. Frequento a praia de S.Pedro do Estoril e por isso essa não é para mim. A propósito não referiu nos seus apontamentos uma regalia que nos oferecem cada vez que procuramos lugar para o carro ! Encheram a zona de PARQUÍMETROS ! Que delicia, ir quase à Rebelva ou à Parede para estacionar o carro. Há o Pingo Doce, junto ao Riviera e até mesmo quem for comprar algo, deverá introduzir uma moedinha para pagar a renda dos 15 minutos que levamos a comprar uma fruta e algum pão! A isto chama-se , e a Senhora esqueceu-se de referir, QUALIDADE DE VIDA. Haveria muito mais a dizer, mas fico por aqui. Morei em Sassoeiros muitos anos por isso afirmo e assumo que hoje ainda é Carcavelos, que muito estimo: a loja Camilo, a antiga loja Vieira, o Café S.Jorge, com palco montado junto a esse café onde a banda da Sociedade Musical de Carcavelos frequentemente dava concertos.O velhinho sapateiro " António da Bia " (avô do meu velho Amigo Vasco, a Pastelaria Primavera, onde ainda hoje gosto de entrar, a velha sede do Grupo Sportivo de Carcavelos e da sua equipa de ciclismo, Lembro-me das verbenas , nos Santos Populares, dos bailes nos Bombeiros, e também dos bailes na colectividade da Rebelva com "conjuntos" (hoje bandas) como: Capri, Cristal, Napolitano, Os Santos, Sanremo, José Belo, 6 de Portugal e tantos mais... Muito haveria mais por dizer. Obrigado +pelo seu comentário. Até breve...

    ResponderEliminar
  11. A minha familia foi para Carcavelos mais ou menos no ano 54 55, eu tanbém tive que andar á porrada com os filhos da peixeira (que naquela altura vendiam o peixe pela rua e o leite traziam a casa), e tive que andar à porrada con un deles porque quiz-me tirar a bicicleta que eu tinha,(entao podia-se andar de bicicleta na rua), havía muitas quintas, agora é tudo prédios, lembro-me deses anos con saudade, mesmo que vivo no extrangeiro, vou lá quase todos os anos, aínda lá viven as minhas duas irmas, e lembro-me que iamos pá praia e comiamos bolas de berlim e batatas fritas, e mais tarde quando adolescente, iamos pá praia a engatar as extrangeiras... gosto muito de Carcavelos e vou lá quase todos os anos ... lembro-me da quinta do barao, havia um bom vinho que faziam alí parecido ao vinho do Porto, lembro-me da quinta dos ingleses e do seu colegio St.Julians, lembro-me de muitas coisas, e ainda tenho lá muitos amigos e familia , mesmo alí perto, Rebelva Tires e mesmo em Carcavelos....fui muitas vezes a tomer a "bica" ao Sao Jorge, e ao Primavera que tinha uns bolos muito boms, conheci ao Sr. Santini, que era amigo do meu pai e começaram com uma geladeria em Cascais...enfim lembro-me de muitas coisas, tenho lá boms amigos e vou lá daqui a pouco....

    ResponderEliminar
  12. Vim viver para Carcavelos com 5 anos mesmo em frente da estação dos comboios, como diz bem no texto (Hazel) quando fazia nevoeiro os barcos pareciam que estavam na nossa cama, neste caso os comboios também estavam. Quando havia greves sentia-se falta de algo. PRaia de Carcavelos (Narciso) ponto de encontro de motas, amigos, jogar raquetes todo o dia, parar para ir beber um granizado, sair da praia com o por do sol e ajudar os banheiros a arrumar os toldos e barracas. Saudades dos cafés e ponto de encontros, do Lince, dos amigos que moravam todos nesses pontos (João Gordo da Estação, Feijão, Lino, Lecas, Indiano, Manos do Mercado, Perdigões, etc e tantos outros que por sinal só enumerei os rapazes. Noites a falar, a beber, combinar onde ir... Não me arrependo de ter feito parte destes momentos especificos de Carcavelos. Continuo a gostar de viver por aqui sim!

    ResponderEliminar
  13. De facto que boa lembrança, mas há mais! Rebelva alem do Famosíssimo S. João era obrigatório atirar moedas para o cantinho do S João, o Pincho era o infantario mais conhecido. As fugidas pelos campos de milho antes da estrada que dava para a quinta da alagoa que era proibido para nos crianças de 76 :) Vivi junto aos tanques de 1977/78 até 84. A carrinha dos Gelados, aquela musica era um despertar.

    ResponderEliminar
  14. é verdade! mas o correcto nome do cinema é Atlântida Cine. e se quisermos andar mais para trás, Sabes que es de Carcavelos quando o se calhar ainda não leccionava prof. Calado e tu andavas no Liceu de Carcavelos era na metade das instalações alugadas ao Colégio Maristas e aí estiveste até à Universidade! ou quando o S. Jorge era a nata das natas e ... ... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão, é Atlântida Cine, obrigada pela correcção. Já editei e corrigi. Acho que foi do entusiasmo a escrever, nem tinha reparado que tinha escrito mal o nome do cinema. :)

      Eliminar
    2. O meu Liceu era o Nacional de Oeiras...não havia cá secundária de Carcavelos, ainda e os Maristas eram só colégio... :) :)

      Eliminar
    3. Na escola preparatória de Oeiras andava uma rapariga que lê chamavao (suf) era terrorífica.

      Eliminar
  15. Excelente retrato, por alguém também de Carcavelos. David C.

    ResponderEliminar
  16. A Rota do Sol, o Henrique da Rebelva, a professora do Fao, o ringue junto à praça, o corcodilo já não o vejo na quinta da A lagoa junto ao lago ainda existente, A Belinha (filha do Humberto Madeira) o Rui Gordo, as tardes de King, o Zé Graxa, o Amadeu "já deu",a Madame Belfegor, a professora Marília, e tantos e tantas personagens do meu tempo. Nasci em 55 e sempre foi é será a minha terra.

    ResponderEliminar
  17. O Gália...em frente aos Maristas...as mesas ainda são as mesmas!!! E a esplanada está lá...

    ResponderEliminar
  18. Olá! Já não abria o blog há muito muito tempo. E hoje, estes dias, preciso de muita energia positiva e lembrei me de vir aqui. :) Ainda só li este post, pensei que fosses de Sintra. Carcavelos é a minha segunda terra, onde viviam os meus avós paternos, onde vive o meu pai, tias, primas, amigas que tive nas férias, namorados, ... E quando for aí, vou te procupar, mesmo que não tenha esta necessidade de agora de energia boa, porque energia dessa nunca é demais. (e vou continuar a ler te hoje) Paula

    ResponderEliminar
  19. Olá! Já não abria o blog há muito muito tempo. E hoje, estes dias, preciso de muita energia positiva e lembrei me de vir aqui. :) Ainda só li este post, pensei que fosses de Sintra. Carcavelos é a minha segunda terra, onde viviam os meus avós paternos, onde vive o meu pai, tias, primas, amigas que tive nas férias, namorados, ... E quando for aí, vou te procupar, mesmo que não tenha esta necessidade de agora de energia boa, porque energia dessa nunca é demais. (e vou continuar a ler te hoje) Paula

    ResponderEliminar
  20. Olá! Já não abria o blog há muito muito tempo. E hoje, estes dias, preciso de muita energia positiva e lembrei me de vir aqui. :) Ainda só li este post, pensei que fosses de Sintra. Carcavelos é a minha segunda terra, onde viviam os meus avós paternos, onde vive o meu pai, tias, primas, amigas que tive nas férias, namorados, ... E quando for aí, vou te procupar, mesmo que não tenha esta necessidade de agora de energia boa, porque energia dessa nunca é demais. (e vou continuar a ler te hoje) Paula

    ResponderEliminar
  21. Olá! Já não abria o blog há muito muito tempo. E hoje, estes dias, preciso de muita energia positiva e lembrei me de vir aqui. :) Ainda só li este post, pensei que fosses de Sintra. Carcavelos é a minha segunda terra, onde viviam os meus avós paternos, onde vive o meu pai, tias, primas, amigas que tive nas férias, namorados, ... E quando for aí, vou te procupar, mesmo que não tenha esta necessidade de agora de energia boa, porque energia dessa nunca é demais. (e vou continuar a ler te hoje) Paula

    ResponderEliminar
  22. Falta no texto falar sobre o tão aguardado "Toni dos gelados" a carrinha dos gelados que chegava a tocar musico e toda a gente a correr para casa para ir buscar dinheiro para os gelados morei na Rebelva no bairro de S. João agora praceta de Évora entre 1972 e 1990...Saudades "ó tempo volta para traz"

    ResponderEliminar
  23. Lembro me do colégio Miguel Ângelo em frente a estação de Carcavelos e da fábrica de chocolates na rebelva que pouca gente sabe que ali existe.

    ResponderEliminar
  24. Hey muito bom texto.és mesmo carcavelense.Revi me nisso tudo.o pormenor do crocodilo de pedra e mesmo para quem sabe...congrats.

    ResponderEliminar
  25. Ainda falta a referência à Panimar, que passou a ser a Panisol, onde atualmente é o LIDL agora, O Sr: Chico do GIMBR que nos deixava jogar Ping Pong, O Sr Beato Salu sem não me engano que morava numa barraquinha à beira do rio, a Dona Maria que era desde de sempre a senhora que tomava conta dos prédios todos ou limpava, as salas de jogos ao pé do Pingo doce do Sebastião ^_^ come tudo come tudo, o Campo da Bola um Bairro pequenino colado à Terplana ....

    ResponderEliminar
  26. boas tmb sou de carca,,+ exatamente rebelva,b.s.joaoa.da familia mitica madeirenses,realmente nda k vi enkuanto cresci perdura la,mas a saudade sim,a barrakinha verde junto ou rio,as jogas da bola na primaria,o siripipi,as festas.o salao d jogos junto aos tankes da rebelva,mt mergulho dei la,tantas i tantas,o caneçao,k ainda la esta,a dona rosa do ssuper mercado,cresci la tda a infancia,,pedro madeirense,,,

    ResponderEliminar
  27. Bons tempos! Gostei de recordar! Sou de 75 e revi-me em muitos sítios também!Gostei muito de recordar. Beijinhos

    ResponderEliminar
  28. O banco das "Pichas murchas" era na Abóboda!

    ResponderEliminar
  29. As mesmas pessoas que conhecem o Prof. Calado conhecem concerteza também o contínuo 'Caveira' e a do portão, a Jorges. Também estes preferiam não lembrar. Sou ainda do tempo em que o presidente do concelho diretivo era o Anorato.
    Excelente blog

    ResponderEliminar
  30. Só estou há 56 anos em Carcavelos - vim de Lourenço Marques (Moç.) directo para a Praceta do Junqueiro - meu irmão António Feio tinha 6 anos! Agora há uma rua com o seu nome não longe do Yate Ben !
    Vivo no Centro na 'rua da Piscina' e no Cappuccino's Coffee Shop todas as terças reúno ao fim da tarde amigos, de diversos locais e artes, e entre eles alguns históricos de Carcavelos - é bom viver por estes sírios...
    (Carlos Peres Feio, no Facebook)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sr Carlos feio grande defensor da imagem e cultura de Carcavelos. ... parabéns. ..

      Eliminar
  31. Uiii... O Cabeleireiro Alberto no Junqueiro, onde é o Hotel Riviera era uma mata, o atual Sushi era o Veleiro, o símbolo do PSD em crescendo na Parede depois de se passar por baixo do comboio...

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário ♥