McLeod Ganj, os monges tibetanos e os picos dos Himalayas

terça-feira, fevereiro 18, 2020




Os dias na Índia parecem ter a duração de setenta e duas horas. Por volta das seis da manhã, apanhámos um vôo interno para Dharamsala, onde reside o Dalai Lama, uma cidade rodeada de florestas à beira dos picos dos Himalayas, também conhecida como “Little Lhasa”.

Esperava-nos um avião muito pequeno e antigo. Podia imaginar a sua manutenção realizada horas antes, com marteladas e uns arames a prender tudo, sob a graça e protecção de Govinda.

Senti-me dentro de uma lata de salsichas — das pequenas —, com hélices vermelhas dos lados. O vôo foi surpreendentemente confortável e tranquilo. A lata de salsichas aterrou num pequeno, acolhedor e silencioso aeroporto.

Em pouco tempo, estávamos em McLeod Ganj, uma localidade pequena onde se respira paz e ar limpo. Aqui reside uma vasta comunidade tibetana. Os monges estão por todo o lado, assim como as bandeiras com orações tibetanas, tuk-tuks, macacos velhacos que roubam telemóveis, música Punjabi, vacas, motas e cenouras vermelhas.











Alguns vídeos:


Entretanto, o computador deixou de funcionar, por isso as publicações passarão a ser feitas através do telemóvel, o que significa que a formatação do texto não será a melhor. Bolas!

Nos picos dos Himalayas,

Hazel

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE LER

0 COMENTÁRIOS

Obrigada pelo seu comentário ♥