A mais bonita cama do mundo...

... está no meu quarto!

Finalmente, encontrei a cama perfeita; linda, romântica, alta, mágica e com uma cabeceira que não magoa as costas quando leio.

Estou deveras feliz, queridos leitores. Mereço esta cama. É muito importante para mim.

Partilho convosco esta alegria e sentido de gratidão.

Obrigada, Universo... pelas tuas recompensas, que tanto valorizo.

Desejo a todo o mundo uma noite muito feliz. Até amanhã...

Ansiedad...

Já há quem não tenha mais unhas para roer.
Nem lábios para morder.
Bem sei... prometi para hoje.
Mas, por motivos merdamente técnicos, não pude cumprir.
Aguentem um pouco mais... é só o que peço.

Cuide da sua rua

O Jardim Municipal aqui perto de casa, onde costumo levar o L., parecia-me mal concebido; não havia mesas onde as mães pudessem dar um lanche aos filhos; os bebedouros eram altos demais para que as crianças pequenas lá chegassem sem ajuda de um adulto...

Então, fui ao site da Câmara Municipal, cliquei no "Fale connosco", e, educada e respeitosamente, expus a situação. Nunca responderam, devo dizer.

Semanas depois - pasmem-se - encontro, nesse jardim, um degrau de pedra à frente de cada bebedouro, e mesas de madeira para piqueniques!

Fiquei muito contente, e enviei-lhes um email a agradecer. Ao qual também não responderam, mas não importa, pois só queria que quem acedeu ao que pedi, visse o seu trabalho reconhecido.

Desde então, passei a estar mais atenta, e apercebi-me de muitas coisas erradas: na minha rua havia 3 carros abandonados e várias lâmpadas de candeeiros públicos fundidas - novamente, comuniquei com a Câmara, e forneci as matrículas, marcas e cores dos carros, e a localização exacta dos candeeiros fundidos.

Pouco tempo depois, os carros foram rebocados, e passou a haver mais lugares de estacionamento. As lâmpadas não só foram todas trocadas, como a Câmara decidiu acrescentar mais alguns candeeiros, para que a rua tivesse melhor iluminação.

Fiquei espantada! Eles trabalham mesmo...

Esta semana, cerca de 1 ano desde a última vez que lhes fiz pedidos, voltei a escrever-lhes.
Pedi que fosse melhorado o espaço nas traseiras do meu prédio, colocado um espelho convexo à saída da minha rua, e que fosse acrescentado um receptáculo para óleos alimentares e outro para pilhas no ecoponto daqui.

O que é que isto tem a ver com a Casa Claridade? Tudo!
Se cuido de mim, da minha família, da minha casa e do meu blogue, também o faço com a minha rua e sítios que frequento. Não é tão melhor viver num mundo bonito e estimado?

Em vez de me limitar a criticar os arquitectos que conceberam bebedouros demasiado altos para um parque infantil, expliquei que as crianças não conseguiam beber água sozinhas, e pedi que fosse colocado um degrau.

Este é o truque. Não é o mundo que tem que mudar. É a nossa atitude.

Cuidem da vossa rua, do vosso bairro. Se virem algo de errado, contactem o Município, com educação, e expliquem o que se passa, fornecendo nomes de ruas e pontos de referência.

Não tenho "cunha" na Câmara Municipal. Nem sequer lá conheço ninguém.
Mas tudo o que pedi, foi atendido. É magia? Talvez. A magia da atitude acertada...
Gostaria de ver toda a gente a fazer isso. Imaginem a diferença que faria.

Há pouco, conheci a Lourinhã (localidade em Portugal perto de Óbidos) e encantaram-me os canteiros e plantas que havia em cada rua. Até havia floreiras presas nos candeeiros. Não vi nada sujo ou destruído, antes pelo contrário. Tudo muito agradável e bem tratado.

Se algum dos leitores é habitante da Lourinhã... parabéns pelo bom exemplo da sua vila!

É importante que todos saibamos o quanto cada um de nós é importante.
Uma única pessoa pode fazer uma grande diferença.
Peça com educação, e será atendido. E não se esqueça de agradecer sempre.

É assim que sou. E mais nada!

Não sou madrugadora. Até gostava de ser, mas as minhas células cerebrais não querem.

No entanto, levanto-me todos os dias suficientemente cedo para levar o L. à escolinha respeitando o horário de entrada.
E é sempre difícil. E custa sempre.

E prometo sempre a mim mesma que vou deitar-me bem cedo na noite seguinte, para compensar (mas nunca cumpro).

Gosto de dormir. E não gosto de acordar. ahahahah Aceito-me tranquilamente tal como sou.

Aquilo que não aceito é que, logo após a mudança para a hora de Verão, em que passo a levantar-me 1 hora mais cedo, todas as noites haja uma falha de corrente, e o meu despertador fique desprogramado. Ah..... isso é que não vale!!

Eu preciso da luz do Sol, e de música para acordar de manhã. Preciso-preciso...

Estes últimos dias, quem me tem acordado é o anjo-da-guarda. Não é metáfora, estou mesmo a falar do meu anjo-da-guarda. Porque o despertador, esse, tem ficado a dormir.

E se esta madrugada voltar a faltar a electricidade e o meu anjo-da-guarda adormece?
Não... não quero um despertador a pilhas, dos que fazem pi-pi-pi-pi-pi...
Ai!

Que rabugenta!
Não me culpem... eu só quero a minha música de manhã...
É pedir muito?