"Crise de meia-idade" - iaics!

sexta-feira, março 08, 2013

Lembro-me de, em criança, achar que uma pessoa de 36 anos já era de meia-idade.
Era um número muito grande...

Achava que, quando tivesse essa idade, ia ser como as outras senhoras que eu via, muito séria, muito adulta, muito preocupada com assuntos importantes. Achava também que ia ser uma mulher de sucesso, très coquette, com sapatos de salto alto, dona de uma fábrica de perfumes e que teria sobre a secretária um copo cheio de lápis-de-cor.


Pois, os caminhos apresentaram-se das formas mais insuspeitas. Para começar, não esperava que fosse tudo tão rápido.

Depois, não sou dona de uma fábrica de perfumes. No armário da casa-de-banho, tenho uma água-de-colónia de bebé comprada no supermercado e um frasco de perfume contrafeito. Em contrapartida, faço incensos.

Não uso sapatos de salto alto. Mas tenho uma cesta cheia de lápis-de-cor, que uso para fazer os meus desenhos. E está certo assim.
Não quereria ser diferente. É isso: não quero ser diferente daquilo que sou.

Não tenho medo de envelhecer, mas tenho um medo terrível de ficar velha, de me esquecer de brincar, de perder a capacidade de me rir até sairem lágrimas dos cantos dos olhos e quase soltar um pum (?). Tenho medo de perder a vontade de me divertir comigo mesma e com os outros. É que eu gosto mesmo de mim assim. Adoro-me. Tive tanto trabalho comigo mesma, a aprender a amar-me, que agora tenho medo de perder esta minha insanidade controlada que me faz feliz.

Se calhar, é por isso que escrevo tanto. Assim, se um dia me esquecer, volto aqui e leio tudo de uma ponta à outra, para me lembrar de como é ser eu.

Perdida em divagações,



PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE LER

11 COMENTÁRIOS

  1. Acho que esse é o balanço habitual antes de cada aniversário :)
    Mas não acredito que haja o perigo de te tornares rabugenta e chata. Encontraste-te, encontraste a tua essência e não creio que a percas de vista.

    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  2. Oi Hazel, confesso que quando criança eu também achava que uma pessoa com 36 anos tbm era velha...rs. Agora, com quase 28, acho que uma pessoa com 36 ainda é uma jovenzinha...rs. Eu também acho que você não vai perder sua essência, uma vez que aprendemos a nos amar e aprendemos a ser quem nós somos de verdade isso não vai embora, fica para sempre.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  3. que bonito tudo o que aqui disse :D
    feliz dia da mulher, bem merece :D

    ResponderEliminar
  4. Eu não acredito nada que vás ser assim tão esquecida! Se já sabes isso agora ... imagina mais tarde! Garanto que pode ser muito bom, eu sei porque já lá cheguei e aprendi muito depois dos 36! Teresa

    ResponderEliminar
  5. E eu Amo-te assim como tu és e também não queria que fosses de outra forma!

    ResponderEliminar
  6. Não há nada a acrescentar ao que o Marco disse, nunca te queria de outra forma, filhota!

    ResponderEliminar
  7. Lol, oh Hazel, mas podes usar saltos altos à vontade que não é por isso que te divertirás menos! ;)Mas acho que em sermos nós próprios é que está o nosso verdadeiro encanto :)Continua assim.

    ResponderEliminar
  8. Concordo, querida, com cada uma de tuas palavras sábias e divertidas. Qdo menina também acha que todos os que haviam passado dos 30 eram "velhos", e meu padrasto ria e retrucava, "quero ouví-la quando tiver esta idade !!!"Agora que cheguei aos 60, me sinto uma mocinha ( não fossem meu joelhos cheios de artrose...ai que bandidos , tridores...!!!), que ri às gargalhadas com coisas simples como fazem as crianças, e chora com filme de amor, se admira diante de um por-do-sol,tem o coração às disparadas qdo espera o marido chegar para um encontro...e - ainda que os bandidos dos joelhos não me ajudem - ainda dou meus passinhos de dança qdo estou feliz ! Acho que a Vida é sempre maravilhosa, independente da idade que os registros assinalam, pois o que vale é a alma,e o espirito ! Minha avó sempre dizia que iria morrer com idade, velha, NUNCA ! E acho que ela estava certíssima ! Bjs autênticos !!!Liz

    ResponderEliminar
  9. Pelas vezes que aqui tenho passado não creio que corra qualquer risco de desaprender ou esquecer alguma coisa daquelas que escolheu para si...!
    Compreendo o sentimento...mas discordo do medo por não haver no seu caso razão para ele!

    Bom resto de dia!
    Maria

    ResponderEliminar
  10. Engraçado me sentir como tu... De pensar que iria ser mais senhora, que iria andar sempre toda arranjada, maquilhada, penteada, salto alto... Mas sem dúvida que tenho a minha maneira de ser e por muito que tente ser aquilo que a sociedade pense que tenho que ser é difícil... Gosto de brincar, de me sentir eu mesma ... e isso sabe tão bem :)

    Beijinho *

    ResponderEliminar
  11. este blog é espectacular ... já sou fiel leitora e seguidora

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário ♥