Exorcizar demónios

quinta-feira, março 07, 2013

O vento não tem dado tréguas. Ouvi-o uivar como um lobo esfaimado a noite toda. E pressenti que algo estava para chegar.

Quando a manhã nasceu, senti um fio de ar frio que entrou pela fresta da janela junto à banheira, e me beijou o corpo nu, aquecido pela água quente que escorria do chuveiro.

Reconheci imediatamente o leve toque desse beijo frio e sinistro, desses lábios ressequidos e desdenhosos que há muito não sentia.
A minha velha amiga e inimiga, a minha guardiã.
Venho despedir-me, disse.

Há muito que me tinha esquecido dela e o esquecimento enfraqueceu-a. Ela tinha-se fundido em mim quando me sentei no seu trono, quando abracei a sua escuridão e nos tornámos uma.

A Senhora da Solidão instalou-se majestosamente em todos os recantos da minha alma, esperando reinar após a nossa aliança. Ou teria sido uma rendição?
Mas não foi para sempre. Há algum tempo atrás, ouviu-se um pequeno e tímido som ao longe, quase imperceptível. Vislumbrava-se uma pequenina luz. E, gradualmente, chegou uma multidão, que acabou por invadir o seu reino de trevas.

O seu reinado de frieza e silêncio foi estilhaçado como um espelho que cai no chão.

Os seus dentes rangiam com a visão dos archotes acesos que se aproximavam. As labaredas lambiam o ar frio e escuro, erguendo-se furiosas como demónios.

A Senhora da Solidão, outrora austera e imponente, tornou-se mais débil a cada novo demónio ardente que se aproximava.

A luz instalou-se. Assim como os risos. Vozes graves, agudas, histéricas, estridentes, riam sem parar. E, sem que ninguém lhe tocasse, a velha ossuda de manto negro transmutou-se em fumo preto, que desapareceu. Esconde-se agora nos cantos escuros das casas, junto ao chão, covarde, negra e pequena. Desculpa se te matei. Mas ninguém me vence. Nem tu. Adeus. Grata por tudo.

[Terminei de escrever este post com o Sol a entrar na sala.]



PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE LER

7 COMENTÁRIOS

  1. Lindooooo minha flor!
    Belo depoimento deste momento que fez parte de ti.
    Uau...
    Beijinhos.

    Flores e Luz.

    ResponderEliminar
  2. Belo texto!
    Forte e vindo bem lá de dentro

    Adorei :)

    ResponderEliminar
  3. Que texto forte e bonito. Ainda bem que venceste. :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Um texto triste, mas mesmo assim belo.
    A solidão faz parte de nós, temos de saber abraça-la e aceita-la de forma a que ela não seja a nossa fraqueza.
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  5. Simplesmente lindo, como é magnifico quando conseguimos vencer nossos demônios! Parabéns!

    ResponderEliminar
  6. Belissíma mensagem de esperança!
    Adorei! <3

    Beijocas***

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário ♥