Manual de Instruções do Corpo Feminino, para Homens

quinta-feira, fevereiro 26, 2015

[NOTA: Considerem isto apenas uma parte do Manual de Instruções do Corpo Feminino, que é tão extenso e complexo quanto o Universo, com os seus enigmáticos buracos negros, tempestades, vulcões, ventos frios e quentes, e sempre em expansão.]


Bem sabeis, vós que seguis a Casa Claridade, que raramente me atrevo a referir o tema da sexualidade, por diversos motivos:

1. Não sou sexóloga;
2. Sou uma moça tímida e recatada;
3. Mas também não sou freira;
4. Acho mais interessante a prática do que a escrita e, com esta, termino a lista!

Mas hoje estou muito inspirada, e tenho de aproveitar, antes que o bom-senso me mande escrever sobre outro tema igualmente excitante, como a renda de bilros.

Previno-o que vou chamar os bois pelos nomes, por isso, se o seu nível de pudor não tolerar linguagem mais explícita, fuja daqui, porque este texto vai aumentar de temperatura.

Vou fazer três linhas de reticências respeitosas e, contudo, cheias de suspense.

Linha 1 ...
Linha 2 ...
Linha 3 ...

Para si, que continua comigo e está pronto para o que aí vem, mesmo sem saber o que é, mas que lhe soa a um irresistível atentado ao pudor, pergunto:
- Qual é a zona mais erógena do corpo feminino?

Uns, do alto da sua infinita sabedoria, responderão:
- O clítoris!

Outros, achando-se mais espertos que os anteriores, dirão:
- Os mamilos!

Os que têm predilecção por fétiches estranhos, retorquirão:
- Os dedos dos pés, depois de um dia inteiro a andar com chinelos velhos de plástico!

Depois, vêm aqueles que, na sua adolescência, viam às escondidas o programa da Playboy, e citam a apresentadora, seguros que irão acertar:
- O cérebro!

Meus Senhores, estais todos errados.
Vou dizer outra vez (imaginem-me a falar para um megafone): Todos errados!

E eis que os membros do sexo masculino (membros significa homens, e não o seu órgão reprodutor, achei melhor esclarecer), tão cheios de certezas, começam a ficar confusos, e a percorrer mentalmente o corpo feminino nu, enquanto a baba lhes escorre do canto da boca. Mas onde?, pensam eles. As nádegas, as orelhas, os cotovelos, o dedo mindinho?

Eu digo-vos. É um favor que vos faço, a vós e às vossas companheiras.
Perdoem-me a arrogância, por oposição à vossa ignorância de Cro Magnon.

Cheguem perto, pois isto é informação confidencial.
- Não tão perto assim.
Assim está bom. -

As vossas mulheres passaram a vida inteira à espera que fossem vós a descobri-lo, mas como não foram capazes... a bem do fim da frustração feminina mundial...

A zona mais erógena do corpo feminino é............. é.............. é............ é o............. é o c............. é o co................ pronto!, eu digo...... é o coração.

Ak! Pfff! Buuu!!
Tanto suspense para isto, dirão com o vosso desdém masculino.

Meus amigos, escutem esta vossa velha escriba que vos oferece o Santo Graal.
Antes de conseguirem chegar ao clítoris, aos mamilos, aos dedinhos dos pés (iaics!), e até mesmo ao cérebro de uma mulher, primeiro têm de chegar ao coração, e não estou com isto a sugerir que lhe façam uma massagem cardíaca e lhe enfiem as mãos camisola adentro, seus rebarbados.

Para chegarem ao coração de uma mulher é preciso ligarem o vosso (coração) ao dela:

E fazê-la sentir-se amada.
E respeitada.
E apreciada.
E mimada.
E apoiada.
E motivada.
E única.

Isso dá um trabalho danado, mas longo e tortuoso é o caminho da glória, aleluia!
Ide em paz. Vós não sois mais Cro Magnon, mas uma nova classe de homem: Homo Sensibilis.
Eu vos abençoo.

Mulheres, colaborem comigo. Não me deixem ficar mal.
Partilhem esta publicação com os vossos homens como quem não quer a coisa, e esperem pelo melhor. Força na peruca!

Let there be Love,

Hazel

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE LER

0 COMENTÁRIOS

Obrigada pelo seu comentário ♥