Lua de Contar Bênçãos

Chegámos à última Lua Cheia do ano 2012!
Na "Lua de Contar Bênçãos", deixemo-nos envolver pelo seu manto prateado que ilumina a escuridão das noites mais frias e longas do ano, enquanto relembramos as bênçãos que vivemos nos últimos 12 meses.

É o que farei:

Muita gratidão aos velhos amigos que sabem o significado de "amor incondicional", e se mantiveram sempre a caminhar do meu lado, no matter what.
A todas as pessoas maravilhosas que conheci ao longo deste ano.
Aos leitores e parceiros da Casa Claridade.
Aos meus guias e mestres, por manifestarem a sua presença e indicarem o caminho, por vezes de forma tão assertiva, quando estou distraída ou com falta de confiança.
Às fadas, aos anjos, aos espíritos ancestrais.
E a mim mesma.

As bênçãos mais especiais que conquistei durante o ano 2012:

Aprendi a andar de bicicleta - Foi dos momentos mais felizes e inesquecíveis de sempre. 
Sinto mesmo que renasci, que me tornei outra pessoa só por ter aprendido a fazer algo que desejei toda a vida, mas achava que não seria capaz.

Criei a Loja da Bruxa - Adoro fazer os meus incensos, os pós mágicos, o vinho mágico, os banhos... o processo de manufactura e de consagração é delicioso. Todo ele... uma bênção.
Ah, e vai haver novidades na loja para breve... 

Fiz o mestrado em Reiki - Foi no começo do ano, e o meu compromisso energético com o Universo estreitou-se, trazendo-me um grande sentimento de responsabilidade mas também de gratificação. Tratei muitas pessoas, dei cursos com o Marco, recebi centenas de pedidos de envio de Reiki (continuamos a enviar para as mesmas pessoas, gratuitamente).

Celebrámos o nosso handfasting - Se querem saber que diabo é isto, leiam aqui.

Mudei de casa - OK, isto não foi divertido. Mudar de casa é um fadário. Mas depois foi muito compensador, porque encontrámos um sítio tranquilo e simpático, onde passei a ter o meu próprio espaço para cursos e consultas.

Dei mais de 100 consultas de Tarot - Foi um looooooongo percurso cheio de momentos interessantes e de aprendizagem. 

Participei em diversos eventos abertos ao público - Uns, organizados por mim, e outros em que tive a honra de ser convidada. Esta bênção foi também um desafio que era importante ultrapassar, porque sou uma criatura tímida. Estou tão confortável aqui com os meus chinelos fedorentos sentada no sofá a escrever para o mundo - mas falar numa sala para 10, 20 ou mais pessoas já não é tão fácil assim.

Fiz uma tatuagem - Ah pois fiz! Resposta às perguntas de sempre: sim, doeu!
Fazer uma tatuagem não é para mariquinhas, que isto dói, e quanto maior for, mais tempo de tortura. Mas eu aguentei firme, que não sou de mariquices, que é lá isso.

Colaboração com o Jornal O Ribatejo - Sempre achei que, se um dia a minha foto viesse no jornal, seria na secção da Necrologia (bate em madeira!), mas não. É no Horóscopo.
As previsões são feitas por mim todas as semanas, e o Jornal está nas bancas às 5ª feiras. 

Escrevi um artigo para Revista Anima Mystica - [Talvez não tenham reparado que] adoro escrever, e o facto de poder escrever, não apenas no meu próprio blog onde-quem-manda-sou-eu, mas para jornais ou revistas, onde-quem-manda-são-eles-e-se-não-gostarem-mandam-te-dar-uma curva, é mesmo muito gratificante para mim.
Disse "um artigo" de propósito. Assim, enigmática. Querem saber sobre o que é, vão lá ler!
A revista é de excelente qualidade, e foi uma honra ter colaborado com eles.

Em suma: 2012 foi um ano para vencer obstáculos e para conquistar. As maiores conquistas foram, realmente, dentro de mim. Percebi que sou muito mais forte do que julgava, e estou muito contente comigo mesma por não ter desistido nos momentos difíceis.
Palmada no meu próprio ombro!

Agora, despeço-me, pois vou uivar para a Lua! AUUUUUUU!!!

Iluminada pela Lua,



10 passos mágicos para entrar no Ano Novo com o pé direito



1. Livre-se do lixo físico e energético. 
No dia 31 de Dezembro, abra todas as janelas da casa enquanto varre a casa inteira desde os fundos até à porta.
Em seguida, com a vassoura afastada do chão, a cerca de 20 cms, varra novamente, mas desta vez no ar - para retirar o lixo energético.

2. Queime os negativismos.
Escreva com caneta preta num papel todos os acontecimentos tristes e mágoas, agradeça pelas lições que lhe trouxeram, e em seguida queime o papel numa vela preta, dissolvendo e transmutando essa energia negativa;

3. Deite fora tudo o que não faz falta e não faz bem.
Recibos antigos de contas pagas, extractos desactualizados, bilhetes e fotografias de relações que já terminaram, jornais velhos, alimentos fora de prazo, embalagens vazias da casa-de-banho, papéis antigos que já não são precisos...

4. Uma fita vermelha. 
Ate uma fita vermelha à volta do puxador da sua porta de casa, do lado de fora, para protecção e para atrair boa sorte.

5. Atraia prosperidade. 
As laranjas representam, no Oriente, o ouro, a abundância.
Coloque na sala uma cesta cheia de laranjas.

6. Sinos e palavras de poder.
Logo a seguir à meia-noite, acenda todas as luzes, abra a porta de entrada, e entre com um sino na mão, fazendo-o tocar em todas as divisões, desde a entrada até aos fundos.
Em simultâneo, faça uma prece de acordo com as suas convicções religiosas, ou, simplesmente, diga alto palavras-chave como "Amor", "Saúde", "Paz", "Riqueza".
Se preferir, seja mais específico: "viajar", "um frigorífico novo", "um emprego", etc..
Peça o que quer! E faça-o alto, com entusiasmo e fé.

7. Vista-se bem. 
Vá ao seu roupeiro e escolha a roupa mais bonita que tiver. Use uma peça vermelha para reforçar o seu poder pessoal, nem que seja de roupa interior (esqueça as cuecas azuis!).
Não use roupa apertada nem descosida.

8. Partilhe.
Gere uma onda de boas energias, distribuindo alguns doces pelos vizinhos. Surpreenda-os, colocando alguns chocolates num saco pequeno e prenda-o nos puxadores das suas portas com um cartão a desejar um bom ano.

9. Coma aquilo que gosta. 
Se não gosta de passas, para quê comê-las só porque "a tradição manda"? Quer passar o ano todo a fazer coisas que não gosta? Coloque na sua mesa de jantar aquilo que mais gostar!

10. Quem dança, seus males espanta. 
Dance. Mesmo que não tenha jeito. Dance até ao ponto de transpirar, divirta-se e receba o ano novo a rir. Tem aqui uma boa coreografia para experimentar.

Tchim-tchim!

Hazel


Celebração de Handfasting


O handfasting é uma cerimónia ancestral pagã de união entre duas pessoas. Não existe apenas uma forma rigorosa de realizar este ritual, podendo ser ajustado de acordo com as crenças e preferências do casal, que tanto pode ser heterossexual como homossexual.

Dentro do círculo mágico, onde são conjurados os Deuses, os Guias e Mestres, os Elementos/ais, e todas as Entidades desejadas, o casal assume um compromisso de união, amor, respeito e lealdade perante estes e os restantes presentes.

Tradicionalmente, é escolhida uma ou várias fitas coloridas (representando cada cor um atributo específico), que são consagradas e atadas em lemniscata à volta dos pulsos unidos do casal, simbolizando, assim, o infinito, a ausência de fronteiras, o perfeito equilíbrio e a perfeita confiança, a união de polaridades.
Em alguns costumes, as fitas são mantidas até à consumação do ritual de união.

A cerimónia é conduzida por um Sacerdote ou uma Sacerdotisa, ou apenas pelos próprios noivos, que podem apresentar-se "vestidos de céu" (sem roupas) e cobertos apenas por um manto, ou trajados da forma que se sentirem melhor.

O ritual é cuidadosamente preparado com meses de antecedência, obedecendo a toda uma complexidade de pormenores; o tempo necessário para a colheita e secagem de ervas, a preparação de misturas sagradas, a maceração de incensos, óleos e vinhos mágicos que serão depois utilizados como oferenda e consumação simbólica e elemental da união.

No final de todos os procedimentos, que não irei detalhar por respeito ao secretismo que a Arte impõe, os recém-unidos saltam sobre uma vassoura colocada no chão, marcando, assim, o começo de uma nova etapa nas suas vidas em conjunto. A vassoura representa a união das polaridades, sendo que o cabo simboliza o órgão sexual masculino, e as cerdas, o órgão sexual feminino.

O handfasting não tem validade legal, porque os seus princípios não assentam na obrigatoriedade e no "até que as morte os separe", como acontece no casamento cristão, mas na expressão mais pura, genuína e livre do amor, na união de duas almas, que se prolonga muito além dos limites e do significado de um documento assinado e até da própria existência terrena.

A sua duração, tradicionalmente, é de apenas um ano e um dia, podendo ser renovado com reformulação de votos no ano seguinte, e assim sucessivamente, enquanto o amor durar.

Através do fumo dos incensos,

Hazel

"Sempre que tiver tempo, deite-se no chão e olhe para o céu."

"Se quiser fazer uma oração, faça-a para o céu. Se quiser meditar, medite com o céu, algumas vezes com os olhos abertos, outras com os olhos fechados. Porque o céu está dentro também; do mesmo tamanho que ele é fora, também é dentro.

Nós estamos no limiar do céu interior com o céu exterior, e eles são exactamente proporcionais. 

Como o céu de fora é infinito, assim também é o céu de dentro. 
Estamos exatamente no limiar; dos dois lados você pode ser dissolvido. Eles são os dois modos de se dissolver.

Se você se dissolve no céu exterior, então é oração. Se você se dissolve no céu interior, então é meditação. Mas no final dá no mesmo, você é dissolvido. E esses dois céus não são dois. 
Eles são dois apenas por sua causa; você é a linha divisória. Quando você desaparece, essa linha divisória desaparece. Então, o de dentro é o de fora e o de fora é o de dentro."

(excerto de "O LIVRO ORANGE - Técnicas de Meditação - Osho")

Debaixo do céu,



Querido Senhor das Barbas Brancas,

Desde 2008 que te escrevo uma vez por ano neste blog. Já é uma tradição!
E como tradições são tradições, aqui vai a minha missiva para este ano.

Este ano, portei-me espectacularmente bem. Superei todos os desafios que o Universo me apresentou com sucesso. Sem qualquer sombra de falsa modéstia, estou muito orgulhosa de mim mesma, como sei que também estás. Agradeço-te do fundo do coração, Senhor das Barbas Brancas, por me teres realizado ao longo do ano tantos sonhos que me pareciam impossíveis, e me trouxeram tantos motivos de alegria.

E que mais poderei pedir? Sabes que sou uma pessoa de gostos simples, sempre fui.
Mas este ano, que já estou um bocadinho mais crescida, permito-me ser um pouco extravagante em alguns dos meus desejos (e porque não?). São eles:


1. Uma cadeira de veludo com braços.

Para ler os meus livros, para meditar, para dormir a sesta, para pensar na vida, para escrever os meus posts, para dar consultas, para ouvir música, para comer bolachas, para coser, para ver o tempo passar, para contar histórias, para beber chá... eu sei lá...!


2. Velas.

Todas as noites, fazemos a 'hora medieval'.
"Que é lá isso?", perguntas tu. Desligamos as luzes todas da casa durante uma hora e acendemos velas.
Poupamos recursos do planeta, poupamos na factura da electricidade, e ainda por cima fica acolhedor.


3. Sabonetes.


Gosto de sabonetes perfumados. São úteis, são bonitos, são agradáveis. E eu canto no banho, mas desafino.






4. Colheres de madeira.

Pequeninas ou grandes. Fazem-me sempre falta para as minhas poções mágicas.





5. Este candeeiro.


Onde existe à venda? Não sei!
Mas gostava tanto de ter um...






6. Um baú grande.

Para guardar as roupas de fora de estação ou para me esconder lá dentro e pregar um susto a quem passasse.


7.
Uns óculos de Sol redondos e pequeninos.

Como os do John Lennon!
Não tenho explicação para isto. Não estão na moda, ninguém já os usa, mas eu sou uma rebelde, uma fora-de-moda, e gosto deles.


8.
Um banco pequeno e fofinho.

Para colocar no hall de entrada e sentarmo-nos quando nos calçamos/descalçamos (não andamos de sapatos dentro de casa).
E termina aqui a carta!
Bom trabalho, Senhor das Barbas!

Na paz dos pinheiros,



Como secar roupa em dias de chuva

Em dias de chuva persistente
Não se consegue secar roupa, é evidente.

Já quase não tinha o que vestir
E, por isso, pus-me a reflectir

Não posso andar pelas ruas desnuda
Enquanto queimava incenso de arruda
Decidi cobrir o estendal com um plástico
Foi um recurso deveras drástico

Mas ficou o problema resolvido
O do tempo, esse bandido.

Na frescura da chuva,



Sopa de chuchu


É sempre bonito quando vamos ao supermercado, não os encontramos, e somos obrigados a perguntar: "Desculpe, pode dizer-me onde estão os chuchus?"
Na Madeira, chamam-se "pimpinelas", que é um nome igualmente engraçado.

Têm poucas calorias, e são ricos em fibras, potássio e vitaminas A e C.
A receita da minha sopa de chuchu (quantidades "a olho"):

- 2 batatas
- 5 ou 6 chuchus
- um alho francês
- uma cebola
- um dente de alho

Quando tudo estiver cozido, passar com a varinha mágica (mixer) e no fim acrescentar:

- uma chávena de leite ou natas
- uma lata de milho
- coentros picados
- um fio de azeite
- sal

Esta vossa chuchu,

Hazel

Colaboração com o Jornal O Ribatejo

É com gratidão e alegria que anuncio que estou todas as semanas no Jornal O Ribatejo, com as previsões semanais dos signos com o Tarot. O Jornal está nas bancas todas as 5ª feiras, o que significa que pode consultar o seu signo já hoje, na página 32.

O meu profundo agradecimento à Direcção do Jornal e a toda a fantástica equipa.
Muito Grata.




Beijos mágicos!



Lua dos Sonhos

Hoje a Lua encontra-se no seu expoente máximo, altiva e misteriosa a reinar no céu gelado.
O frio convida ao repouso e as mantas quentes da cama abraçam-nos e embalam-nos nas viagens nocturnas para a terra dos sonhos.

Enquanto dormimos, deslocamo-nos em viagem astral para os outros planos, onde podemos trazer mensagens, presságios, ideias e ensinamentos. Se soubermos controlar a viagem...

A minha recomendação para este mês é preparar uma expedição no desconhecido, viajando para o mundo dos sonhos. Aqui estão as ferramentas que vai precisar de levar na mala:

Como o seu meio de transporte será a sua cama, coloque hoje mesmo lençóis limpos, sacuda cobertores e colchas, aspire todo o quarto e certifique-se que não tem nada debaixo da cama.

Como? Nada debaixo da cama?
Não me refiro aos monstros imaginários que toda a gente sabe que lá vivem à espera de oportunidade para nos puxarem o pé!
Refiro-me à tralha, mesmo. Que nos "puxa" para baixo e impede a energia de fluir livremente.

Vai precisar de um diário de bordo, ou melhor, um diário de sonhos. Coloque um caderno e lápis na sua mesa-de-cabeceira e anote tudo o que se lembrar no momento exacto que acordar. Se tiver uma ametista, limpe-a e coloque-a perto de si para estimular a intuição.

Deite-se cedo e pode até beber um chá de hortelã antes de dormir, para ajudar a reter na memória os sonhos. Assim que acordar, não deve fazer absolutamente nada antes de anotar os sonhos, pois é o momento em que a memória está mais "acessível".
Se precisar, entoe o mantra RAOM GAOM, que ajuda a recordar os sonhos.

Ah, e se quiser consultar o significado de alguns símbolos, consulte o Guia dos Sonhos, que tenho estado a construir nos últimos anos (tende paciência comigo, sonhadores, pois ainda não está terminado!).

Encontramo-nos no plano astral! Bons sonhos e boas expedições!



Como fazer um saco para aprisionar a inveja


Não gosto de falar sobre essa coisa da inveja, porque acho que é algo muito feio. Tenho um certo "nojinho" do assunto, é como se fosse falar sobre furúnculos que libertam pus e líquidos verdes. Blarc!

Mas o tema inquieta a mente humana, assusta as pessoas, e os pedidos de conselhos que me chegam são uma constante neste assunto.
E eu não quero ter leitores amedrontados, quero-vos felizes, levezinhos e tranquilos.

Se temos medo de algo, significa que achamos que somos mais fracos.
O medo abre portas que deve manter fechadas-a-sete-chaves.

Assim, e relembrando que devemos sempre concentrar o nosso tempo e energia em assuntos edificantes, que nos dão ganas de viver, deixo o ensinamento para fazer um amuleto de protecção contra inveja para ajudá-lo a sentir-se mais seguro, na condição de depois deixar este assunto "nojentinho" de parte e voltar a ser leve e feliz!

Vai precisar de:

- 1 pano branco
- 3 dentes de alho com casca
- 7 pregos, de preferência tortos ou ferrugentos
- um punhado de arruda
- um punhado de sal grosso
- 1 pedaço de casca de cebola, onde vai escrever a palavra protectus com caneta preta

Numa Terça-feira de Lua Minguante, deite tudo dentro do pano branco e dê-lhe 7 nós (3 com 2 pontas, e 4 com as outras 2). Uma vez fechado, nunca mais deverá ser aberto.
Coloque-o num recanto discreto dentro da sua casa, preferencialmente na entrada ou na sala. Deverá trocá-lo uma vez por ano, deitando fora o saco anterior sem abrir.

Sob a Luz do Amor,


Hazel

O Banho da Bruxa


Uma banheira cheia de água com um saco de ervas é como um grande bule de chá onde se toma banho. Desde tempos imemoriais que se recorre ao poder das plantas colhidas nas fases lunares mais favoráveis e nos dias e horas planetárias mais auspiciosos para fazer infusões com fins mágicos.

Contudo, os banhos de ervas, não obstante toda a sua beleza e romantismo, nem sempre se revelam práticos nos tempos que correm. As ervas entopem as canalizações e ficam coladas por toda a banheira quando a água escoa. Foi a pensar nisso que concebi uma forma prática e sem inconvenientes de poder tomar um banho mágico: colocando todos os ingredientes em sacos de tule.

Os sacos podem ser colocados sem abrir dentro de uma banheira com água, como se tratasse de um grande bule de chá, e no fim basta retirar o saco. Todos os seus aromas serão activados com a água quente e as suas propriedades mágicas viajarão através da água... e de si.

A ideia de que os banhos de sal grosso só devem ser tomados do pescoço para baixo é um mito. Se fizesse "mal", ninguém poderia mergulhar na praia para não molhar a cabeça com a água do mar - salgada!

Sob os vapores dos banhos,

Hazel

Wunjo: a runa do sucesso


Felicidade, satisfação e sucesso a todos os  níveis - são estas a propriedades associadas a Wunjo. É a runa dos desejos realizados, da Vontade e da luz que brilha dentro de cada um. Lembra-nos de pedir com exactidão e foco, pois o Universo recebe cada um dos nossos pedidos. E se o pedido vier do coração, sem mágoas, puro, então Wunjo diz-nos que será atendido. Avisa, por outro lado, para termos cuidado com aquilo que desejamos, ao mesmo tempo que ajuda a olhar para o lado positivo de uma situação menos boa.

Sucesso, Alegria, Vontade

Com Amor,

Marco


Se gostou deste post também irá gostar de:
 - Mannaz: a runa da humanidade
 - Pertho: shhh, é segredo!

Lua dos Mortos

Na Lua dos Mortos, honramos os nossos ancestrais, recordando-os, não com tristeza, mas com gratidão pelo tempo que passaram nas nossas vidas e pelas lições que nos ensinaram.

É chegado o tempo de nos reunirmos em torno no fogo reconfortante com os entes queridos, deixando um espaço livre para os que já partiram se juntarem a nós.

A vida é feita de sucessivas mortes e renascimentos. E esta etapa fala de morte.
De despedidas. De purificação. De abandono. Preparámo-nos para isto na lua anterior, e agora é chegado o momento de deixar ir tudo o que não queremos mais na nossa vida.

Juntemo-nos com aqueles que amamos em volta do caldeirão, e queimemos pedaços de papel onde escrevemos o que queremos deixar para trás. Deixe para trás tudo o que for negativo.
É agora o momento!

Em torno do caldeirão,

Hazel

Relógios parados = vida parada!


"A máquina do tempo existe.
Serve para fazer os pespontos dos segundos no tecido do tempo. 
O relógio é a máquina de costurar o tempo."
Eno Teodoro Wanke

Os relógios encontrados entre os destroços causados pelas bombas atómicas que atingiram Hiroshima e Nagasaki, estavam parados, e todos marcavam 8:15 horas, a hora exacta do lançamento.

Nos filmes de terror/thrillers, aparece com frequência imagens de relógios parados como um mau presságio, representando a morte.

Os relógios servem para medir o tempo: quando os ponteiros param, a energia que outrora estava em movimento pára também - e tudo estagna.

Dê uma volta em sua casa e verifique todos os relógios que tem, sejam estes de pulso, de cozinha, de cuco, digitais ou de corda. Acerte-os e ponha a andar todos os que estiverem parados; coloque pilhas novas, dê corda, mande reparar os que estiverem avariados, ou deite-os fora!

Se tiver relógios avariados que não tenham reparação, mas não quer deitar fora por terem valor sentimental, tenha noção que ao preservá-los está a manter energia estagnada na sua vida, que o prende ao passado. É mesmo isso que quer?

O tempo para viver é agora. Vamos pôr os relógios a andar!

Beijos tic-tac,

Hazel

Quando alguém não acredita em Fadas, morre uma.


No restaurante da vida, podemos escolher da ementa os pratos que desejamos.
Uns, preferem lambuzar-se com bolo de chocolate e morangos, enquanto outros dão-se por satisfeitos com um peixinho cozido com batatas (ou não).

São os sentimentos que moram dentro de nós e os seus impulsos eléctricos que conferem vida e poder às circunstâncias que nos rodeiam.

Se acreditamos em magia, vê-la-emos manifestar-se.
A magia para si é um disparate? Viva uma vida sem magia. É uma escolha sua.

Se acreditamos em nós mesmos, superamos todos os obstáculos. Somos invencíveis.
Se acreditamos que alguém nos pode fazer mal, vai mesmo fazê-lo.
Se acreditamos que vamos falhar, vamos mesmo falhar. Redondamente.
Se acreditamos que um amuleto nos vai proteger, ele funcionará.
Se acreditarmos que nunca vamos ser felizes, realmente, nunca o sereremos.

Mas o que é isso de "acreditar"? Não querendo desprestigiar a mente, mas é aquilo que sentimos nas nossas entranhas que dá poder à manifestação. É visceral.
Acreditar não é uma decisão racional, mas uma postura energética.
Não é com o pensamento que se acredita, mas com cada célula do nosso corpo, com toda a alma, com todo o coração, com 'ganas'!

Os livros de auto-ajuda não funcionam para a maior parte das pessoas, que acabam por arrumá-los na estante com um sentimento de frustração e desapontamento - não que os autores estejam errados. Mas porque a certeza nos resultados, a fé em nós mesmos e todas as técnicas ensinadas, simplesmente não chegam. O motor de arranque tem que vir do coração, dos sentimentos, da emoção. Não do intelecto.
A Rainha em "Alice no País das Maravilhas" resume tudo: "Off with their heads!"

As Fadas existem, sim, mas apenas para aqueles que acreditam nelas.
A verdade de cada um existe na medida daquilo que o nosso olhar e o nosso coração conseguem alcançar.

Aquilo em que acredita, bem lá no fundo do si mesmo, é aquilo que vai acontecer.
Imagine a sua alma como um poço profundo. Incline-se lá para dentro e espreite.
Encontra Fadas, ou apenas água escura?

Ainda vai a tempo de salvar as Fadas na sua vida. Só tem de acreditar nelas... e atrever-se a lambuzar-se com um suculento bolo de chocolate e morangos.

Beijos feéricos,

Hazel

Ensinar um gato a usar a sanita em 8 passos


Aramis, meu bom gato. A tua vida vai mudar radicalmente. Tu, que és tão espertinho. Tu, que és tão simpático. Tu, que te julgas humano e só gostas de beber água se for de um copo.

Quando te vi assim, sentadinho no trono, tive uma ideia: vou ensinar-te a usar a sanita dos humanos. Vou mesmo!

Não preciso de referir as vantagens de treinar um gato a usar a sanita. Mas vou referi-las na mesma, então quem é que manda aqui?

1. Acaba-se "aquele" cheiro que a caixa das areias às vezes liberta na casa;

2. Preservamos o meio-ambiente e poupamos dinheiro, pois deixamos de precisar de comprar areia;

3. Deixamos de ter a tarefa desagradável de limpar a caixa das areias.

Se está curioso sobre como vou ensiná-lo, aqui está um vídeo muito útil:


Aqui estão os 8 passos:

1 - Colocar a caixa das areias do gato ao lado da sanita.
2 - Todos os dias, ir gradualmente subindo a caixa colocando listas telefónicas ou outra coisa qualquer por baixo, até acabar por ficar da mesma altura da sanita.
3 - Colocar a caixa das areias em cima da sanita.
4 - Substituir a caixa das areias por uma bacia redonda cheia de areia que se coloca em cima da sanita.
5 - Colocar a bacia dentro da sanita, mantendo a areia.
6 - Fazer um buraco no fundo da bacia e colocar areia à volta.
7 - Aumentar o tamanho do buraco da bacia.
8 - Retirar a bacia de dentro da sanita. E temos um gato treinado!

Desejem-nos boa sorte. O treino começa... hoje!
Alguém se atreve a embarcar nesta aventura connosco e treinar o seu gato?

UPDATE EM 21/11/2012:
Estava tudo a correr tão bem... e na última etapa do treino... foi o desastre total.

Todos os tapetes da casa sujos de xixi e o cocó fazia no chão ao lado da sanita.
Estivemos quase lá. Quaaaase!
Portanto, desisti do treino, com muita pena, e voltámos à velha caixa das areias.
Voltámos, é como quem diz, quem a usa é o gato, não eu!
Eu tenho cá para mim que ele até conseguia fazer tudo certinho, mas decidiu assim porque gosta de ver esta sua súbdita sentir emoções fortes. Affff....!
Mas não desistam. Há gatos e gatos. Pode ser que o vosso seja mais... hmmm... flexível! 


Beijos felinos,

Hazel

Guia dos Sonhos - M


Maçãs - Sonhar com maçãs bonitas e doces é um prenúncio de sorte nas relações, de amor e sensualidade. Se estiverem podres, forem ácidas ou se caírem para o chão, indica desentendimentos e decepções nas relações com outras pessoas.

Machado - Representa poder e a capacidade de cortar com situações negativas. Usá-lo indica triunfo sobre os obstáculos. Ser ameaçado por machados simboliza medos e/ou iminência de situações ameaçadoras.

Magnólia - Harmonia e moderação nas relações sociais.

Mãos -  Sonhar com mãos feridas ou que perde os dedos, augura prejuízos e perdas nas relações. Mãos fortes e saudáveis representam capacidade de evoluir nos diferentes planos da existência.

Mar - Em geral, o mar representa a chegada de uma nova fase. Se o seu estado for sereno e as águas límpidas, indica serenidade. Caso esteja agitado e as águas se apresentarem escuras, prenuncia conflitos, inquietações, dificuldades.

Matar - Sonhar que mata alguém indica que vai conseguir libertar-se da influência nefasta de uma pessoa controladora e pouco escrupulosa na sua vida.

Mel - Representa sucesso, alegrias, saúde.

Mendigo - Está a descurar um aspecto da sua vida, esteja atento. Alimente a sua auto-estima, para não cair na armadilha de sentir-se desvalorizado em relação aos demais. Acredite em si mesmo.

Mesa - Se estiver vazia, indica insatisfação, angústia, solidão. Se estiver posta para uma refeição, é um bom augúrio; viverá uma fase de sentimentos de grande satisfação e de aceitação social e familiar.

Mocho - O mocho representa sabedoria, sensatez, discrição e prudência. Sonhar com ele é um conselho para estar atento aos seus atributos e segui-los.

Morrer - Sonhar com a sua morte não representa uma morte física, mas o fim de uma etapa nefasta na sua vida, em que já não existe mais evolução espiritual, e o começo de uma nova fase, em que renascerá fortalecido e terá novos horizontes para contemplar e crescer.

Índice (clique nos itens):

- Guia dos Sonhos - L 
- Guia dos Sonhos - M
- Guia dos Sonhos - N
- Guia dos Sonhos - O
- Guia dos Sonhos - P
- Guia dos Sonhos - Q
- Guia dos Sonhos - R
- Guia dos Sonhos - S
- Guia dos Sonhos - T
- Guia dos Sonhos - U
- Guia dos Sonhos - V
- Guia dos Sonhos - X
- Guia dos Sonhos - Z
- Introdução


Beijos sonhadores,


Hazel

Lua do Outono

Com o cair das folhas secas, cai também tudo o que já morreu em nós. Cai o que é feio, o que é velho, o que é triste, o que não nos serve mais. Deixemos cair.

Mesmo que não reste nada, como um tronco de árvore completamente nu. Sem apegos, sem mágoas.

Que o vento leve tudo aquilo que já secou e sopre o pó que se acumulou nas reentrâncias da nossa alma.

Começa agora uma nova etapa, um novo ciclo da Natureza, anunciado pela Lua Cheia.

Esta é a Lua dos Segredos e dos Mistérios.
Mas também da Renovação.

Sintonizemo-nos com ela, deixando que os seus raios de prata banhem o nosso corpo despido e o consagrem, alimentem e iluminem.

Ofereçamos-lhe uma dança.
E agradeçamos pelas lições que aprendemos durante a última lunação.

Beijos lunares,



Na doçura das manhãs

"O rio passa, e as pedras vão ficando pelo caminho
Assim são os problemas que carregamos,
por maiores que sejam, vão ficar no passado,
uma hora eles caem no esquecimento.

A vida, como o rio, tem um curso a seguir,
e quem não pode ficar para trás é você.
Vá em frente, projete seus sonhos
livre do que te incomoda.

Se é a saúde que lhe falta, se trate;
Se é a solidão que incomoda, seja solidário;
Se é o desamor que te atormenta, ame mais;
Se é a traição, perdoa;
Se é a escuridão que entristece, seja a luz;
Se é o vazio que te deixa assim, preencha-se;
Se te falta fé, se encontre.

Se te falta direção, observe o rio,
que se deixa levar pelo caminho,
certo que depois das pedras está o mar,
ponto de chegada dos vitoriosos.

Hoje você pode ser apenas um fio d'água,
mas seguindo o curso do rio da vida,
deixará para trás pedras e barrancos,
e se fortalecendo com a capacidade de amar,
deixará de ser rio e será mar".
Paulo Roberto Gaefke

Beijos contemplativos,



Aprender a confiar

Confiar é entregar as chaves da porta do nosso coração, sabendo que a pessoa que lá entra vai encontrar as divisões mais elegantes e bem cuidadas, onde nos sentimos confiantes para receber visitas.

E vai também encontrar os recantos mais obscuros, onde o bicho-da-madeira destruiu uma parte dos móveis, tornando-os frágeis, delicados, facilmente quebráveis.

E esperamos - confiamos - que essa pessoa nunca coloque livros pesados em cima dos móveis mais vulneráveis.

Eu tenho dificuldade em entregar as minhas chaves, até porque os meus recantos mais obscuros estiveram em manutenção, e ainda há pouco recuperei os móveis que estavam quebrados e pintei as paredes de cores novas e vibrantes.

Mas, também, quem não entrega as suas chaves... nunca ninguém visita o seu coração.
E, assim como as casas, um coração precisa de estar aberto, arejar, receber calor humano.
Caso contrário, fica fechado, empoeirado, as fechaduras tornam-se perras e tudo lá dentro morre no escuro.

Beijos arejados,


A todos os que me escrevem

São cada vez mais as pessoas que me escrevem pedindo ajuda e aconselhamento para todo o tipo de situações. Muitas vezes, levo mais de uma semana até conseguir reunir tempo para ler atentamente todas as mensagens, por vezes bastante extensas, e responder. Enquanto não o faço, ando com uma sensação de "peso", porque sei que estão a aguardar.

Nos dias em que me ocupo disso, abro o email e as mensagens privadas do facebook, e não faço mais nada senão responder individualmente a cada pessoa.

É um trabalho de entrega que tenho feito nos últimos 4 anos, que foi crescendo e atingiu um ponto que se tornou insuportável para mim. Não só pelo tempo e dedicação que exige, como também pela sensação de estar sempre em falta para com alguém, e de andar sempre a correr para apagar fogos, sem depois receber, tantas vezes, um simples "grato".
Muitas pessoas confundem aquilo que se faz por amor com uma obrigação. E abusam.

Assim, decidi permitir-me a mim mesma gerir melhor o meu tempo, de maneira a poder prestar um melhor serviço a quem me procura, seja nas consultas presenciais ou online.

Todos os emails e mensagens com pedidos de ajuda/aconselhamento serão remetidos para este post, onde aconselho a marcar uma consulta de Tarot ou de Reiki (consoante a situação) comigo, em que terão toda a minha atenção e dedicação.

Saiba mais sobre as consultas de Tarot (presenciais e à distância).
Saiba mais sobre as consultas de Reiki.

[Nota: O envio de Reiki à distância, continua, claro, a ser gratuito.]

Grata pela vossa compreensão.

Beijos mágicos,


Hazel

Lua Azul


Chama-se Lua Azul à segunda Lua Cheia que acontece dentro do mesmo mês. Este momento especial acontece apenas uma vez em cada período de dois anos e sete meses.

Os atributos relacionados com a Lua Cheia, como a intuição, feminilidade, capacidades psíquicas, ligação com o divino, etc., estão no ponto máximo durante a influência da Lua Azul, onde qualquer trabalho mágico será exponencialmente poderoso.

Beijos lunares,



Viver de Corpo e Alma


Amor. Desprezo. Gratidão. Raiva. Compaixão. Angústia. Serenidade. Medo. Alegria.
Tristeza. Desejo. Repulsa. Admiração. Ciúmes. Devoção. Ressentimento. Êxtase. Ira.

Tudo isto são diferentes emoções, diferentes estados de espírito. Crus, genuínos, humanos.

Espiritualidade não é fazer ioga, queimar incenso e abraçar árvores. Estar sempre zen, amar tudo, amar todos, viver num constante estado de leveza como se flutuasse no éter.
É bonito. Mas incompleto.

O Ego e as suas manifestações têm sido muito mal considerados. Porquê matar o Ego, e reprimir as emoções negativas?
Se alguém lhe der uma bofetada, vai oferecer a outra face? Sei de uma certa lenda sobre alguém que o fez e não acabou muito bem...

Quem nada sente, e a nada reage... só pode estar morto!
A Espiritualidade trata de saber viver todas as emoções que surgem, reconhecê-las e aceitá-las sem julgamentos, sem culpa, sem auto-crítica. As bonitas e as "menos consideradas".

Alguém lhe fez mal? Fique zangado, sim. É um direito seu, ora.
Que me perdoem os entusiastas do "perdão imediato", mas a ordem natural implica que todas as acções sempre tenham reacções.
Uma pessoa pode esbofeteá-lo eternamente se você nunca reagir.

É legítimo que sintamos emoções negativas. Não as bloqueie. Abrace-as com o mesmo entusiasmo que abraçaria uma grande alegria. Permita-se sentir.

Dê tempo. Tempo para que as emoções negativas se consumam e extingam.
A sua alma, fustigada pelo veneno da raiva ou qualquer outra emoção negativa é como uma rua fétida, suja de urina de cão e de expectoração escarrada por pessoas de maus modos.

E depois vem o cansaço, e o desajuste das emoções causadas por uma situação que já não existe mais. Resta-lhe a si reconhecer o momento e não se apegar a esse veneno.
Deixe que essa rua escura e malcheirosa seja lavada por uma valente chuvada fresca e com cheiro a novo. Deixe que as emoções se esvaiam. Não se prenda a elas. Laissez tomber...

Siga estes 3 R's:

- Renasça das cinzas.
- Reconcilie-se consigo mesmo e com o Universo.
- Reestabeleça a harmonia.

Espiritualidade não é castração emocional. É liberdade, sentimento, aceitação.

Beijos Yin e Yang,

Hazel