Plantas à entrada de casa


Sempre tive vasos com plantas do lado de fora da porta de casa. Chegar a casa, para mim, é ser recebido pelas plantas e pelo gato e largar os sapatos assim que entramos.

Sou a única no meu prédio que tem plantas à porta de casa... até hoje!
O meu sorriso de satisfação quando abro a porta de casa e vejo um vaso com uma planta bem verdinha na entrada dos vizinhos da frente. Que maravilha!

Fico feliz com estas delicadezas que tornam o mundo mais simpático e acolhedor.
Afinal, há esperança para essa espécie em vias de extinção!

(Foto: as minhas plantas e Dom Gato - não ia abusar e fotografar a entrada dos vizinhos, né?)

Home, sweet home!

Hazel

Um cantinho da minha casa


Uma casa é como uma pessoa.
É feita de recantos, de cheiros, de memórias e particularidades. Uma casa com alma conta a história da nossa vida e recorda-nos quem somos.

Estou sempre a mudar o lugar dos móveis e dos objectos, da mesma forma que eu própria mudo por dentro para me tornar tão agradável e acolhedora para mim mesma como um fim de tarde numa poltrona aquecida pelo Sol.

A arrastar móveis,

Vou morar numa casa de férias

No outro dia, quando estava de rabo para o ar a proferir impropérios enquanto apanhava tralha que se espalha e acumula pelos cantos - quantos cantos tem uma casa? Apre! - tomei uma decisão importante: quero viver numa casa de férias.
Mas, assim, o ano inteiro.

Nas casas de férias, as pessoas só têm o que precisam, o essencial.

Agora é que finalmente percebi porque nos sentimos tão relaxados quando vamos para uma casa de férias...
... porque não há nada para arrumar!!

É tão óbvio (palmada na testa), como não percebi antes? Duh...
Foi preciso uma vida inteira de dona-de-casa desesperada para entender, foi? Foi.

Então, é isso. Decidi que vou viver numa casa de férias - que luxo! Uia!

Uma casa de férias sem tralha.
Sem gavetas que custam a fechar porque estão demasiado atafulhadas de roupa que nunca usamos, mas guardamos anos a fio à espera não-sei-de-quê.
Sem armários de cozinha que vomitam os tupperwares todos para cima de nós quando tentamos encaixar mais uma caixa como se fosse um jogo de Tetris.
Sem bibelots. Sem papelada. Sem merdinhas.

Vou mudar de casa sem ter de mudar de casa.

Depois das várias viagens que a vida me impôs, aprendi a desapegar-me do supérfluo. Objectos supérfluos, relações supérfluas, ocupações supérfluas...
Estou em processo de trocar raízes por asas.

Só quero ter o que realmente preciso e o que me faz sentir bem. Tão-simplesmente!

A riqueza de alguém não se conta pelos bens materiais que um dia acaba inevitavelmente por perder, mas pelos momentos felizes que se contabilizam - e ninguém nos pode roubar o que já vivemos. Por isso, não preciso de muitas tralhas!

E o que vou fazer com o que já não quero?, perguntais.
Aquilo que estiver danificado... lixo. O que puder ser útil a alguém, dou.
Outras coisas, entrego numa loja de artigos em 2ª mão - se forem vendidas, uso os dividendos para ir passear! Também mereço, ora.

Não sei quanto tempo vou demorar a conseguir chegar onde quero, mas sei que vou chegar lá, porque esta decisão partiu directamente do meu coração.

Agora, excusez moi, que vou tratar de transformar esta casa normal numa casa de férias.

De espanador na mão,


Hazel

Já não sou uma dona-de-casa desesperada

Vivaaaaaaaaaa!!!!!
Acabou-se a capa que não tapava o sofá todo e estava sempre a escorregar e a amarrotar-se.
Adeuzinho, pau entalado no meio das almofadas para segurar a capa.

Risco o sofá da lista de presentes, e fico só com os restantes que pedi, sim, Pai Natal?
Antes que me acusem de ser a preferida do Pai Natal, informo já que não foi ele.

Agora, permitam-me um auto-elogio:
- Eu sou melhor que uma fita métrica!
[Palmadinha no meu ombro esquerdo]

Tenho um novo sofá, branco, como eu queria, por apenas 29€. Eu disse "novo sofá", e não "sofá novo", alguém notou?

Ora, foi simples. Fui ao IKEA e comprei as capas extra daquele sofá branco. Apenas.

O nosso velho e bom sofá, comprado há uns 12 anos atrás, quando ainda não havia IKEA em Portugal, é de outro modelo, mas eu, amigos...

... eu tinha cá uma coisa dentro de mim que me dizia que as capas do IKEA iam servir.




Voltando à narrativa, lá fui ao IKEA, e trouxe as capas para casa.
Num segundo, voou o pau e a capa que serviu de improviso-permanente durante uma data de anos, e concentrei-me.
É verdade que agarrei num martelo e dei umas marretadas nos cantos das costas do sofá para moldá-lo. Os meus vizinhos, que ouviram a barulheira, são testemunhas. [Desculpem lá!]

E consegui! Com mil marretadas, se consegui...
Meu rico sofá, sempre valeu a pena tudo o que passámos contigo, incluindo aquela vez em que te deitámos para o lixo e nos arrependemos, trazendo-te de volta umas horas depois.
[Nova palmadinha no meu ombro esquerdo!]

Estou contente porque tenho um novo sofá e não gastei quase nada.
Estou contente porque consegui não poluir o Planeta com mais lixo.
Estou contente porque já não pertenco à A.D.S.E.A.*!

* Associação dos Detentores de Sofás Esculhambados Anónimos

Na casa da bruxa

O que será que há nas misteriosas casas das bruxas? Ratos, sapos e morcegos?
Uh-hu-hu, que medo. Esta é a hora em que os leões vão beber água; só os mais corajosos e destemidos podem entrar. Shhhhh. Não façam barulho.

Há sempre colheres de pau. Para mexer a sopa, as poções mágicas, ou bater na cabeça dos atrevidos que se aproximem.

Velas, caldeirões e tambores que parecem rufar sozinhos. Tum... tum... tum...

Misteriosos livros antigos, amarelados pelo tempo. Terão veneno na pontinha das páginas? Folheiem por vossa conta e risco.

Um gato e uma vassoura. "Cheira-me que andaste a voar sem mim", diz o gato, desconfiado. E andei mesmo. "Desculpa, amiguinho. Para a próxima, levo-te."

Muitas plantas. E duendes travessos escondidos na folhagem, que vigiam quem passa.

O resto está escondido. Esta bruxa hoje não mostra mais nada. Agora fujam! Fujam daqui!!! hihihihihihih

Cuidado! Ela está louca!

Hazel

Matrioskas!

Existem 39 pessoas na Rússia que lêem a Casa Claridade, e eu acho isso muito divertido. Cumprimento-as na sua língua: Здравствуйте, друзья! - tradução: Olá, amiguinhos! 

[OK, sou tradutora, mas não sou poliglota e não sei falar russo.
Confesso: usei o tradutor do Google. :)]

Leitores da Rússia, adooooooooooro as vossas Matrioskas!

E estas férias estive lá. Não, não foi na Rússia, mas na bancada da Rússia, na FIA. É quase a mesma coisa, hã?

Depois de me ter divertido a experimentar chapéus russos e admirado as lindas réplicas dos ovos de Fabergé, comprei estas 5 encantadoras Matrioskas. Conseguem ver a mais pequenina?
Foram directamente para junto dos meus velhos e estimados alfarrábios.

Além de serem alegres e pitorescas, as lendárias Matrioskas são um amuleto que dá Sorte a quem as possui e mantém a família unida, próspera e feliz. Ora bem.
Simbolizam a Grande Mãe que protege e acarinha os seus filhos.

Há quem as use como caixinhas de desejos, escrevendo o desejo num pedaço de papel e colocando-o dentro da 2ª Matrioska.

Bom, depois conto-vos como foi a minha viagem ao Tibete, ãh, digo, à bancada do Tibete. :)

E tudo se resolveu... com um pau.

Ainda mal o dia tinha nascido, e os nossos sapatos já iam a sair de fininho.

- Onde é que vocês julgam que vão?, perguntei eu.
- Ora, vamos comprar o sofá novo!, respondiam, em coro, os sapatos.

Umas pestes...

- Já para a sapateira e bico calado!!

Estivemos quase-quase-quase a acompanhar os nossos sapatos na caminhada para a loja, quando surgiu o comentário-travão:

Analuciana disse: "Nos folhetos de vendas que por vezes nos aparecem no correio, com ideias práticas, aparece 1 coisa que te daria jeito.
É como se fosse um cabo de vassoura, do comprimento do sofá.
Pões a capa e pões o tal cabo de vassoura entre o assento e as costas.
É confuso assim explicado, mas é como se o cabo de vassoura entalasse o tecido/capa."

Até bati com a mão na testa; como é que não pensei nisso antes?!

Agarrei num pau grosso e comprido e entalei-o na horizontal onde aponta a seta vermelha na foto.

Testámos e aprovámos. Funciona!
Quando nos sentamos, a capa já não escorrega para o chão e o sofá mantém-se sempre arrumado.

Para as leitoras que tinham o mesmo problema que eu, e já vão de sofá às costas a caminho do lixo, voltem para casa, que a solução está no pau. ahahahah

Muito obrigada, Analuciana!
O nosso já-não-tão-esculhambado sofá ainda fica por aqui mais uns tempos.

À noite...


Todos os dias, quando o Sol se põe, cumpro o ritual de preparar a casa para a chegada da noite.

As energias mudam...
Os raios de Sol despedem-se, levando consigo a azáfama dos pequenos acontecimentos do dia, e eis que surge a tranquilidade e serenidade da noite.

As luzes acendem-se, e os fios do fumo do incenso serpenteiam pelas divisões da casa, perfumando-as.

A música toca baixinho. A maior parte das vezes, esta que está a ouvir agora; a da Casa Claridade. :)








Em tempo: as lâmpadas que utilizo são das economizadoras, amigas do ambiente.

O prazer de viver em casa

Nada disto faz falta, na realidade.
Mas que estes pormenores, que nos fazem sentir "em casa", tornam o nosso lar mais simpático e acolhedor, ah, isso ninguém pode negar...

Deixo-o bisbilhotar alguns dos meus, mas vamos combinar: depois, quero conhecer os seus!

Pequenas taças com guloseimas espalhadas pela casa.
(antes que perguntem: nem a planta nem as frutas são de plástico, hã? É tudo verdadeiro! :))

Um sino pendurado junto à porta da cozinha.
- Tlim! Tlim! Tlim! Meninos, para a mesaaaaaaa! - Sim, é para isto mesmo que serve.


Um rádio na cozinha, para ouvir música enquanto cozinhamos. Tem outro sabor...

Revistas de decoração ou banda-desenhada* (atende-se a todos os gostos!) no armário do W.C..
(além do prazer de lê-las num lugar onde ninguém nos chateia, ainda podem vir a ser úteis um dia em que falte o papel higiénico - LOL)
Cadeiras nos quartos para pousar as roupas que despimos antes de ir dormir.
(agora vão ficar a pensar que andei o dia todo vestida só com um lenço verde... hé!)

São estes detalhes que nos fazem sentir o doce there's no place like home.
E agora gostava de conhecer os seus! Conte-me tudo, tudinho...

(*) banda-desenhada = histórias de quadrinhos (trad. Brasil)

Num dia nublado...

Até na ponta do nariz tenho terra.
Isto de ser-se jardineira num apartamento não é nada fácil, vocês sabem lá.

Este clorofito também foi salvo do lixo. Lindo, grande, saudável, e desprezado.

Deixo aqui um ultimato ao Sr. Universo, que é unha-com-carne com o Sr. Lixus:

- Ó meus Senhores, isto já começa a ser demais. Nesta casa, existem mais de 40 vasos. Assim não pode ser.

Se querem que eu continue a salvar as plantas abandonadas deste mundo, transformem a minha casa em pastilha elástica(*) para que eu possa soprá-la e fazer as paredes crescerem.

Hã, vai contra as leis da física?

Sendo assim, vou fazer um grande sacrifício, só porque sou uma pessoa cheia de boa-vontade, e aceitar uma casa nova, com um jardim grande onde possa realojar todas as plantas.

Já agora, que essa casa tenha o lava-loiças em frente à janela da cozinha.
Que também seja perto da praia.
Que tenha árvores de fruto e um baloiço.
Que o chão dos quartos seja em madeira.
Que o WC tenha uma banheira antiga. U-hu!
Que tenha esconderijos e um alpendre.
E uma lareira simpática.

Não precisa de ter plantas.
Essas... levo eu!

Voltando aos clorofitos. Dividi-os por dois vasos e coloquei junto à entrada.
Até que me lembre de outro lugar. Aqui, nada é definitivo; nem as antigas cortinas da cozinha, que ficaram queimadas do Sol, e estão agora a forrar os vasos (de plástico... buhh).

Senhor Universo e Senhor Lixus, estamos conversados! Humpf!

(*) pastilha elástica = chiclete de bola (Trad. Brasil)


Em tempo: "Mamã... não devias ter posto essa fotografia da terra no chão...", disse o L.. :))

Quadro de boneca

Como fazer? Assim:

- um vestido de boneca
- dois clips
- uma moldura (sem o fundo)

Torcer os clips com um alicate, ou mesmo com as mãos, até adquirirem o formato de um cabide em miniatura. Não precisa de ficar perfeito.

Pendurar o vestido no cabide de clip e prender este no mesmo prego onde a moldura está pendurada.

Só isto!

Em vez de vestido, também poderia ser uma camisola, uma saia de boneca, um casaco...

Querido, não é?

Para começar a semana com coisas fofinhas...
:)

Antiguidades cheias de encanto... no "lixus"!

Caro Senhor de bigodes que vive no Junqueiro e deitou fora estes lindos baús, ei-los devidamente limpos, amados e instalados, tal como lhe prometi!

Foi assim mesmo.
Vi-os no lixo, parámos o carro e fui salvá-los. De bónus, achei também o dono!

- Tem a certeza que quer mesmo deitar estes baús fora? Olhe que está a deitar fora coisas muito bonitas...

- Sim, eu sei. Mas vou mudar de casa e não posso levar tudo comigo. Tenho duas filhas, mas elas não ligam a estas coisas... Tenho mesmo que deitar fora.

- Olhe, sendo assim, eu vou levar. [cara de pau] Não se importa?

- Leve, leve. Já vi que com o carinho com que está a pegar nos baús, depois de uma limpeza, vão ficar muito bonitos.

Conversámos um pouco mais, e despedimo-nos desejando saúde, sorte e felicidades.
Ah, porque é que não me lembrei de lhe deixar o nome do meu blogue?!
Que cabeça de vento!
Era tão engraçado que o Senhor os visse agora... Resta-me a esperança de que um dia o descubra por acaso.



Aqui estão eles, quando vieram.
Cheios de pó e de promessas de encantar-nos os olhos e o coração.








Aqui, a apanhar banhos de Sol.
Ainda não decidi o que guardar lá dentro.

O Natal em casa dos meus leitores!

Muito Obrigada a todas as pessoas que me convidaram a conhecer os seus lindos e encantadores cantinhos natalícios e aceitaram partilhá-los com o mundo inteiro!

Vamos lá vê-los...! Ho! Ho! Ho!


Leila, Caxias do Sul RS, Brasil

5 desejos:

"Queria ter dinheiro para acabar de decorar meu apto..
Um trabalho novo.
Paz e saude para minha família.
Férias.
Mais Amor e compreensão entre as pessoas."





Ana Maria, São José - Santa Catarina, Brasil

5 desejos:

"a máquina de costura que já está encomendada e logo vai chegar,
quero pedir que o meu filho passe no vestibular
e que minha família possa estar muito feliz e unida neste dia,
aliás que esteja sempre assim"




Talma, João Pessoa, Brasil

5 desejos:

"Quero ficar mais um ano (ou dois) aqui em J. Pessoa,
Quero que meu filho passe por média na escola (esse seria um presentão);
Quero muito ouvir a voz de uma pessoa com quem não falo há uns dois anos (quando mudamos, perdemos contato) mas tenho medo de ligar e que ele não esteja mais vivo.
Quero um aparador liiindo de morrer que eu vi na rua, daqueles vendedores que expoem suas coisas na calçada.
Quero mais um ano de paz."



Hannah, Portugal

5 desejos:

"Saúde e Paz."
[somados várias vezes, para dar 5!]









Flora Maria, São Lourenço, Brasil












Sandra Maria, Porto Alegre - Rs, Brasil


5 desejos:

"Paz para toda a humanidade.
saúde para toda a minha família
Luz para iluminar meus caminhos
Amor para dar para quem precisa
E sorte muita sorte para mim!"




Alice Teixeira, Brasil

5 desejos:

"1- suas músicas
2- suas músicas
3- suas músicas
4- suas músicas
5 - suas músicas
pq... escutá-las me faz um beeeeeeemmmm enoooooooorme !!!!!"
[ahahahahah! Obrigada, Alice!]



Priscila Oliveira, Ceará, Brasil

5 desejos:

"paz;
saúde;
sucesso;
felicidade;
amor eu tenho de sobra, mas não é pecado querer um pouco mais não é?! "