Dia 181

30.6.11

Andam por aqui duendes travessos e gnomos de barba comprida...


Dia 180

29.6.11

Gebo. Ai, Gebo, Gebo, não sei se te ame, se te odeie...


Dia 179

28.6.11

O útero da Deusa.
Os três pés representam as suas três faces: Donzela, Mãe, Anciã.


Dia 178

27.6.11

Voa, borboleta, pois o teu tempo é curto. Não te deixes agarrar.


Dia 177

26.6.11

Interessantes, estes novos cartões dos transportes públicos. Deveras. :)


Dia 176

25.6.11

Jardim Zen.


Dia 175

24.6.11

Teatro.
Não. Não vou cair no lugar-comum de comparar a vida a uma peça de teatro que não permite ensaios e blá blá blá. Não é isso, não, senhor. São as cortinas de veludo.... 
Gostava de ter um quarto com cortinas de veludo. Num castelo. Com candelabros. 
E um fantasma residencial. Cada um gosta do que gosta. 
E eu mantenho os mesmos gostos de há séculos atrás.


Dia 174

23.6.11

Shhhh... já vesti o pijama, lavei os dentes e vou a caminho da cama.
Deixai-me dormir agora, Senhores. Não quero ouvir nem um pio.
O meu sono é sagrado. Amen!


Dia 173

22.6.11

Aramis. Dom Fuas, para os mais íntimos.
Todo ele é charme. Todo ele é languidez. Ele é que sabe das coisas...


Dia 172

21.6.11

Jantar fora = colocar a mesa na varanda. :)


Dia 171

20.6.11

Este desenho faz-me sempre sorrir e ficar bem disposta. Bem-haja!



Dia 170

19.6.11

Quando as descalço, parece que continuo calçada.
Qual código de barras humano, tenho os pés às riscas.


Dia 169

18.6.11



Dia 168

17.6.11

Fogo ardente.


Dia 167

16.6.11

Quem passa por esta porta entra no baile do impossível. Há vestidos de teia de aranha, perfume de arrepios, velas de pernas para o ar e música que acompanha o uivo dos lobos.
O chão tem lajes de vertigem e as paredes são cortinas de fumo.
Vamos dançar?


Dia 166

15.6.11

Sintra. Fantasmas. Neblina. Teias de aranha. Musgo.


Dia 165

14.6.11

O gato e a bruxa.
Os livros e a noite.
O silêncio e a escuridão.


Dia 164

13.6.11

Pulseira. 


Dia 163

12.6.11

Chapéu pensador.


Dia 162

11.6.11

Manjerico.


Dia 161

10.6.11

Algodão-doce.


Dia 160

9.6.11

De que lado do tronco das árvores nasce o musgo?
Disseram-me que é a Norte. ;)


Dia 159

8.6.11

"Lullaby, little man
You're a child of adventure
Put your dragons out of sight
Mummie's watching you tonight
Now that you had your fun
And your battles are won
Put your dragons out of sight
Mummie's watching you tonight."

Há 6 anos a cantar lullabies. :)


Dia 158

7.6.11

Que é lá isso, gato, que é lá isso.
Vem-me cá dar beijinhos agora, vem, que eu digo-te. Blarc!


Dia 157

6.6.11

Foi por causa da história da Branca de Neve e da maçã envenenada que as bruxas ganharam um mau nome. Nunca me hei-de conformar. Humpf.


Dia 156

5.6.11

Caldeirão de cobre. Regido por Vénus.
Para feitiços e encantamentos de Amor.


Dia 155

4.6.11

O vento fala. E toca melodias.


Dia 154

3.6.11

Doll House.


Dia 153

2.6.11

A Luz. Sempre a Luz.


Dia 152

1.6.11

Feliz Dia da Criança :)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...